quarta-feira, 22 de setembro de 2010

Colaborando: Adriana Calcanhotto em Volta Redonda

Relato de Carol Freitas (blogs Tigela Colorida e Mania Crônica) sobre o show de Adriana Calcanhotto em Volta Redonda na terça-feira, 21. A disseminação da cultura é feita através da união e parceria. Envie, também, um texto sobre algum evento cultural que esteve presente, e ajude o blog a movimentar cada vez mais o cenário cultural brasileiro. Escreva para culturaemovimento@gmail.com e conte sua história!

Foto: Arquivo Pessoal Adriana Calcanhotto

Terça-feira. Acordar às 06:00, ficar pronta para sair às 07:00, sentar na cadeira às 07:30, trabalhar até às 18:15, compromisso às 19:00 e show da Adriana Calcanhotto às 21:00. Esse era o resumo do dia. Confesso que já estava cansada só de pensar nele e, pra completar, no meio da tarde, minha companhia para o show disse que não poderia ficar até o final da apresentação; assistiria ao início e iria embora. Foi a gota necessária para que o desânimo discreto que pairava, desse lugar à certeza de que eu dormiria mais cedo ontem. Mas sei lá em que momento, a dona da minha paixão declarada falou mais alto: a música. Já estava na rua mesmo, convite na bolsa, decidi seguir o caminho até ela. E, quer saber? Adoro dias comuns que terminam com ares de perfeição! Digo sempre e repito sem medo: não sei nada sobre música. Nada que envolva sua magia de nascer. Nada. Mas eu a sinto e faço dela companhia para meus melhores momentos. E acho que merecia escutar, ao vivo, a canção que elegi para mim. Era dia de Esquadros... 

Vi, no meu final de noite, a cantora Adriana Calcanhotto, desfilar deslumbrante em um vestido vermelho, todo seu talento e elegância musical. Calma, simpática, e muito solícita, ela apresentou canções variadas, não prendendo-se apenas ao seu último trabalho lançado, o cd Maré. Se permitiu até passear pelas canções de seus Partimpim's, para minha alegria e deleite! E como se não pudesse ficar melhor, eis que a moça começa a cantar 'Eu sei que vou te amar' e nos carrega para aquelas cenas protagonizadas por ela no filme "Vinícius', confessando ao final que gostaria de ter sido ela a compositora da canção. E assim, leve, a noite fluiu entre suas composições e momentos de nítida satisfação pessoal como intérprete.

Durante o espetáculo, ela disse que ficou feliz em ser convidada para fazer um show no formato que mais gosta, apenas voz e violão, preenchendo todos os espaços do palco. -  Que bom que você gostou, Adriana. Imagine eu, então? - Juro que quis dizer isso a ela.

Quando o show chegou ao final, senti falta de duas músicas que adoro, e me conformei em ir para casa sem tê-las ouvido. Mas, Adriana voltou ao palco para o bis, e entoou animada a canção 'Cariocas', que tanto me lembra as amigas queridas que tenho no Rio, e 'Maresia'. Pretensão ou não, eu sabia que ela não deixaria minha noite incompleta.

Saí do teatro sozinha, feliz e cantarolando. Não fotografei, não filmei, não fiquei para pedir autógrafo. Na correria nem me lembrei das facilidades da era digital. Tudo que vi, ouvi e senti, ficou guardado comigo. É como se a voz suave da Adriana tivesse me soprado a frase de Robert Browning: 'Quem ouve música, sente a sua solidão, de repente, povoada.'

*O show faz parte do projeto "Cultura para todos", idealizado há um ano e meio pela prefeitura municipal de Volta Redonda, e terá como próximas atrações Jorge Vercilo, Jair Rodrigues e Maria Rita. Mais informações sobre esse e outros projetos em andamento podem ser encontradas no site www.portalvr.com

Vote no Cultura em Movimento no Prêmio Top Blog! Basta clicar no banner do lado direito do blog e votar. Depois, é só confirmar o voto por e-mail! A votação vai até 6/10.

Um comentário:

Moni. disse...

A suavidade da Adriana Calcanhotto aliada à sensibilidade da Carol, fizeram-me sentir um tantinho lá...
E ainda pude ser presenteada por ela - a Carol - de que Adriana cantou "Beijo Sem", canção que amo!

Parabéns pelo blog!