quarta-feira, 14 de outubro de 2009

Show Influência da Bossa em Ipanema

A cantora carioca Thaís Motta apresenta, nesta sexta-feira, o show Influência da Bossa, junto com o trio do pianista Marvio Ciribelli. O show será no Vinicius Bar, templo da Bossa Nova em Ipanema.

Marvio e Thaís mostrarão como incorporam suas vivências concretas à tradição da Bossa, promovendo um show que mostra uma Bossa cada vez mais Nova e cada vez mais cheia de influências do jazz, do choro e do samba.

No repertório, Valsinha (Chico Buarque); Samba em Prelúdio (Baden Powell e Vinícius de Moraes); Samba do Avião (Tom Jobim); Arrastão (Edu Lobo e Vinícius de Moraes); Doce Amargo (Fred Martins e Marcelo Diniz); Até o Fim (Chico Buarque); A Banca do Distinto (Billy Blanco); Refém da Solidão (Baden Powell e P.C. Pinheiro); Tico Tico no Fubá (Zequinha de Abreu); A Felicidade (Tom Jobim e Vinícius de Moraes) e Prá Dizer Adeus (Edu Lobo e Torquato Neto) entre outras, que atuam desde a época Pré-Bossa Nova até os dias de hoje.

O Vinicius Bar fica na Rua Vinicius de Moraes, 39 - Ipanema, RJ. O show será às 22h30 e os ingressos custam R$30. Mais informações pelos telefones 2523-4757 e 2287-1497.

Foto: Pedro Luz

Especial Villa-Lobos

Já que uma andorinha só não faz verão, e ideias sem apoio não vingam, conto com a participação de Carol Freitas em mais um especial do blog. E, agora, é a vez de Villa-Lobos. Para começar, a introdução escrita por Carol. Aproveito para convidá-los a conhecer o blog dela, Tigela Colorida.


“Considero minhas obras como cartas que escrevi à posteridade, sem esperar resposta.”

1887. Nasce no Brasil o homem que revolucionaria a história da música erudita no país: Heitor Villa-Lobos. Inspirado em nomes como Sebastian Bach e no folclore brasileiro, Villa-Lobos compôs peças que seriam depois imortalizadas em nosso cenário musical. Compôs concertos para quase todos os instrumentos e democratizou o erudito de forma bem brasileira em toda sua obra.

Compositor, maestro, e um militante da nossa arte fora do país, Villa-Lobos defendeu intensamente sua própria forma de compor, de misturar estilos, de lutar por sua carreira, mesmo ainda sendo desconhecido do público no Brasil.

Dentre seus trabalhos, nos agraciou com as “Bachianas Brasileiras” – em que uma delas ganhou letra de Ferreira Gullar, transformando-se no clássico “Trenzinho Caipira” -, “Choros”, e que são consideradas suas mais importantes composições. Criou também para o cinema, corais e óperas. Colocou em cada uma delas um sentimento de brasilidade e de inovação, que nem sempre era bem recebido pela crítica e pelas platéias, mas que ficou para nós como um dos legados mais importantes de sua obra: a originalidade.

Nesse ano, onde se completa 50 anos de sua morte, Villa-Lobos será homenageado pelo Blog Cultura em Movimento, com uma série que mostrará, em 3 matérias, o caminho seguido pelo artista, sua luta, contribuição e paixão pela música brasileira.

Na próxima semana, a primeira matéria: Villa-Lobos e a música do Brasil.

Adryana BB lança CD no Rio


Começou ontem a temporada de lançamento do CD “Do barro ao ouro” (Saladesom Records), de Adryana BB, no Rio de Janeiro. Os shows acontecem no Rio Scenarium, na Lapa, sempre com participações especiais. No primeiro show, Adryana dividiu o palco com Lucio Sanfilippo. Nesta quarta-feira, 14, é a vez da cantora carioca Manu Santos, e no dia 15, quem participa é o maracatu carioca Gebav.

Gravado na Sala Baden Powell em junho de 2008, “Do barro ao ouro” reuniu compositores da temática nordestina e traz um repertório inédito de autores consagrados como Paulo Cesar Pinheiro & João Lyra na faixa “Coco da Canoa”, Geraldo Azevedo & Geraldo Amaral em “Xamego do bom” e os novos Daniel Gonzaga com “Laranjeiras”, Irinéa Maria Ribeiro e seu “Tiriê Pintassilgo”, do Japão Mio Matsuda em parceria com João Lyra no maracatu “Estrela do Mar”, a regravação de “É Roma Pegando Fogo” de Carlos Fernando, além de músicas da artista sozinha como em “Minha Flor”, “Pandeirada” e “Dona Biu”, e em parceria com o jornalista e letrista pernambucano Gilvandro Filho, a faixa “Saudade”.

No show, além do repertório do CD na íntegra, a artista passeia por clássicos de samba citando Noel Rosa, Chico Buarque, João Nogueira e Zé Keti, relembra alguns sambas de enredo da década de 70 e 80, entra na cultura afro-nordestina em cirandas, maracatus e afoxés, e canta também algumas de sua autoria o maracatu “Loa aos Pretos” que lhe rendeu o TIM/07 no CD “Lapada!”, do Rio Maracatu, grupo do qual Adryana foi líder durante muitos anos.

Nessa temporada, Adryana BB é acompanhada por Cassio Cunha (bateria), Zé Leal (percussão), Humberto Mirabelli (violões), Gustavo Gama (baixo acústico) e Guilherme Maravilhas (acordeon).

Show de lançamento do CD “Do Barro ao Ouro”
Local: Rio Scenarium – Rua do Lavradio, 20 – Centro.
Data: 14 e 15/10
Hora: 22hs
Preço:15,00
Capacidade: 500 lugares

Adryana também vai fazer Pocket show na Livraria Saraiva, dia 23/10:
Pocket show de lançamento do CD “Do Barro ao Ouro”
Local: Saraiva do Ouvidor - Rua do Ouvidor, 98A - Centro.
Data: 23/10
Hora: 12:30hs
Entrada Franca

terça-feira, 6 de outubro de 2009

O jornalismo em pauta

O projeto Jornalismo Literário realiza, nesta quarta-feira, seu penúltimo encontro. O tema é "Fato ou Ficção: Os Relatos da Memória", e conta com a participação dos escritores Heloísa Seixas e Zuenir Ventura. O evento acontece no Teatro II do CCBB (Centro Cultural Banco do Brasil), no Rio de Janeiro, às 18h30.

O projeto é um ciclo de palestras mediado pelo jornalista cultural Álvaro Costa e Silva, e tem a intenção de debater o que de melhor o jornalismo brasileiro produziu e produz: os livros-reportagem, as biografias de grandes mitos de nossa cultura, as experiências inovadoras da mídia que deram certo e fizeram história.

Neste penúltimo encontro estarão em pauta o livro “1968: O ano que não terminou”, de Zuenir Ventura, além do livro “O lugar escuro” e a série investigativa “O Acre de Chico Mendes”, de Heloísa Seixas.

A estreia do projeto foi no mês de maio e os encontros mensais, sempre na primeira quarta-feira do mês, serão realizados até o mês de novembro. O CCBB fica na Rua Primeiro de Março, 66 – Centro, RJ. A entrada é franca e as senhas começam a ser distribuídas uma hora antes do evento.

Lanna Rodrigues na Rádio MEC


A cantora Lanna Rodrigues participa, nesta quarta-feira, do programa Ao vivo entre amigos, apresentando músicas do CD Marcas do Passado. O show aocntece no auditório Paulo Tapajós e será transmitido ao vivo pela Rádio MEC AM (800 MHZ). O programa, que começa às 17h, sempre traz um nome da Música Popular Brasileira que já virou referência.


Para quem quiser assistir ao programa ao vivo, a entrada é franca e as senhas começam a ser distribuídas a partir das 16h. A Rádio MEC fica na Praça da República 141 - A - Centro – RJ.

quinta-feira, 1 de outubro de 2009

"Tio, me dá um livro?"


“Tá relampiano, cadê neném?
Tá vendendo drops no sinal pra alguém...”

(Relampiano – Lenine / Moska)

No meio de tantos supérfluos que encontramos na internet, algumas vezes damos sorte de garimpar boas ideias. Foi o que aconteceu com o artigo “Vale mais que um trocado”, escrito pelo jornalista Rodrigo Ratier para o site da revista Nova Escola, da editora Abril.


O texto conta a experiência de Rodrigo durante um fim de semana em que ele distribuiu livros para moradores das ruas de São Paulo, em vez de dar-lhes esmola. “É possível estabelecer uma relação que, talvez, seja mais humana com as pessoas em situação de rua”, disse ele, que alega ter continuado com a distribuição de livros mesmo depois da publicação da matéria.


Mostrando, na prática, que um pouco de cultura e atenção valem mais que um trocado, o episódio narrado pelo jornalista foi uma experiência bem sucedida. Segundo ele, esta foi a matéria que mais repercutiu, em seus 11 anos de profissão.


Rodrigo conta que a história começou em uma das reuniões de pauta na revista. Na ocasião, a coordenadora pedagógica Regina Scarpa relatou que ela andava com uma caixa de livros no carro, para distribuir, preferencialmente, às crianças. Da história contada pela “tia do livro” – como Regina ficou conhecida -, Rodrigo vislumbrou a possibilidade de uma boa reportagem. E partiu para as ruas.


Mesmo com as boas iniciativas, a vida segue avassaladora. O mundo gira cada vez mais veloz, e a famosa falta de tempo nos faz fechar os olhos frente às desigualdades, esquecendo de olhar para o próximo, que está ali bem ao lado, mas que ignoramos sua presença. Porém, como disse Rodrigo, “faz toda a diferença para alguém que entrou nessa profissão com o sonho de mudar o mundo, saber que, vez em quando, alguma coisa do muito que a gente escreve consegue tocar a vida de alguém”. E é por profissionais como esse, que eu tenho orgulho de ser jornalista.

Foto: Rogério Albuquerque

Elisa Addor faz temporada no Centro Cultural Carioca


A cantora Elisa Addor estreia nesta quinta-feira uma série de shows que fazem parte do pré-lançamento de seu CD, que tem previsão de sair em dezembro. Elisa estará acompanhada do grupo Cana de Litro e, a partir do dia 8, recebe um convidado por noite. Os shows serão no Centro Cultural Carioca, sempre às quintas-feiras, a partir das 21h30.

Elisa tem se destacado na cena musical carioca, se apresentando em diversas casas de samba da Lapa. Junto com o Cana de Litro, a cantora ganhou, em 2006, o primeiro concurso Jovens Bambas do Velho Samba realizado pela Casa de samba Carioca da Gema. Desde então, Elisa faz parte do quadro fixo da Casa, além de comandar a roda de samba do Bar Semente, também na Lapa.

Em seus shows, Elisa canta grandes clássicos de artistas como Chico Buarque, Caetano Veloso, Cartola e Dorival Caymmi. No seu CD de estreia, que tem direção musical de Edu Krieger, a cantora fará releituras de sucessos, além de músicas inéditas.

Os convidados de Elisa serão: Moyseis Marques (8), Nilze Carvalho (15), Marcelo Caldi (22) e Edu Krieger (29). O Centro Cultural Carioca fica na Rua do Teatro, 37 – Praça Tiradentes, RJ. Mais informações pelo telefone (21) 2252–6468.

Espetáculo “Casablanca & Senzala!” garante encontros inusitados

Mais uma matéria minha no portal "Minha notícia", do IG. Dessa vez, é sobre o espetáculo "Casablanca & Senzala!", que estará em cartaz, neste fim de semana, no Bar do Tom, RJ:

Criado pelo cartunista e cantor bissexto Chico Caruso, a partir de uma idéia do musicólogo Ricardo Cravo Albim, "Casablanca & Senzala!" traça um paralelo entre o filme americano, o Brasil de 1942 e o mundo de hoje. Questões românticas, políticas e sociais são mostradas através da música, da dança, da magia e das artes circenses.
Leia a matéria completa aqui.