segunda-feira, 2 de fevereiro de 2009

As palavras têm cor


Uma palavra doce, branca como um algodão doce ou uma nuvem no céu. Uma palavra forte, com a energia do laranja, impactante como o vermelho, delicada como o lilás. As palavras têm cor, assim como a vida, o sol e o mar. As palavras têm vida, e ganham o sentimento de quem as escreve. Quando isso é feito com o coração, com a alma de quem usa as palavras como forma de expressão, elas ganham cores que transmitem a verdade essencialmente bela de quem as projetou.

A vida é um misto de palavras e expressões, e os chamados “poetas” são aqueles que traduzem-na, selecionando um conjunto de palavras para explicá-la, ou tentar entendê-la. Quem escreve, nem sempre tem a clara visão das coisas ao seu redor. Muitas vezes, escrever é uma forma de descobrir o mundo que nos cerca, dando a ele um novo sentido, uma nova sensibilidade, uma nova cor. Ou até mesmo usando dos chamados “clichês”, pois, afinal, fugir deles já virou também um clichê.

Juntemos todas as cores da vida numa tigela de palavras, sentimentos e sensações. Assim, teremos uma tigela colorida. Colorida de boas palavras, escolhidas por quem sabe usá-las de forma tão sutil e envolvente. E, através dessas palavras, vamos “escutar uma nova melodia, encontrar a fantasia escondida, ensinar o caminho da alegria, aprender a saborear a vida”. Será que isso dá samba? Se dá samba, eu não sei, mas posso garantir que dá um ótimo blog!

E, é embalada pela doce melodia das cores das palavras, que os convido a conhecerem o blog “Tigela Colorida”. Eu, como incentivadora de sua criação, não poderia deixar de fazer a minha propaganda. Escrito por Carol Freitas, ele apresenta seus belos poemas, e traduzem de forma encantadora as cores que as “palavras da vida” podem adquirir.

E, se as primeiras palavras do blog de Carol foram minhas, encerro meu texto com um poema dela que, além de ser colorido como seu blog, tem em si uma magia inexplicável, a magia da cor, a magia do samba.

No dia em que eu sair na comissão de frente da escola da minha vida,
Vou saber que o samba tem conexão divina entre o bem e o mal,
Dessa coisa que mexe com a gente,
Que só acontece em noite de carnaval.
Essa magia que dorme escondida,
E acorda brilhante quando a mulata atravessa a avenida.

Abençoe meu Deus com alegria,
Essa força que move os pés da passista,
E que embala as piruetas do mestre sala.
Que deixa bonita a vida de quem assiste,
Essa tradição que ainda persiste,
De ser feliz e nada mais.

E ainda quero olhar pra trás e avistar na passarela;
As alas coloridas transformando todo o espaço em aquarela,
Evoluindo ao som de homens e mulheres comuns,
Que de manhã são apenas João e Maria
Mas que à noite são a “voz” da bateria.

O mais comovente dessa festa é essa tal contradição:
De ser feita por essa gente que não tem quase nada nas mãos,
Que passam dias sem ter ao menos o básico pra viver,
Mas que sabem repartir o que lhes sobra nessa ocasião

Sabem que essa vida é uma só,
E que a tristeza só mora na casa de quem pra ela abre as portas,
a convidando para entrar,
E que a alegria só pousa no peito de quem sabe sambar.

(Dia feliz – Carol Freitas)

8 comentários:

Danny disse...

Oi, Carolzita! Tudo bom?
Criei um novo blog e queria que você me fizesse uma visita. Te indiquei pra um selo. Vê lá!
Beijos!

Carol Freitas disse...

Posso dizer "obrigado" mais uma vez??

As palavras tem as cores que vc ajudou a pintar!

Bjs!

Paula disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
*LIS disse...

Lindissimo!
A sua apresentacao ao blog ja o deixou muito nobre. E lendo essa letra, vejo que a outra Carol, bem como essa aqui tem talento!

Parabens por tamanha evolucao na aquarela verbal minha amiga!

Sucesso sempre!

Madamefala disse...

As palavras são magníficas, tem cores, cheiros e personalidade.Uma das coisas mais lindas que ouvi ultimamente foi que contar uma história é fácil, difícil é transmitir o sentimento e contagiar o ouvinte.Foi o comentário da minha prima pra mim ao contar uma história...rs

super beijo grande

Lusiane disse...

Lindo!!!

Vem cá... é "mal de Carol" escrever bem? hahahahah

Beijão!

*LIS disse...

Meus dois blogs indicaram o seu a dois selos...

Para dar uma olhada como funciona, passa aqui
http://r-and-om.blogspot.com/2009/02/selos-isos-blogais.html

;D

Flávia Menna Barreto disse...

"Ou até mesmo usando dos chamados “clichês”, pois, afinal, fugir deles já virou também um clichê." Sensacional, Carol, assim como o poema.

Não teria como eu não gostar dos temas abordados. Amo samba e carnaval e, assim, entendo perfeitamente a frase: "Dessa coisa que mexe com a gente/Que só acontece em noite de carnaval.'