quarta-feira, 4 de novembro de 2009

Ausência temporária

Galera,
Devido a correria da vida universitária, trabalho, e tudo mais, está super difícil atualizar o blog. Desculpa, pessoal!
Estou me organizando pra voltar com a rotina de postagens, o que pretendo que seja muito em breve. Por isso, aguardem que logo logo a movimentação do blog volta ao normal, com o especial Villa-Lobos e muitas outras novidades.
Até lá!
Carol

quarta-feira, 14 de outubro de 2009

Show Influência da Bossa em Ipanema

A cantora carioca Thaís Motta apresenta, nesta sexta-feira, o show Influência da Bossa, junto com o trio do pianista Marvio Ciribelli. O show será no Vinicius Bar, templo da Bossa Nova em Ipanema.

Marvio e Thaís mostrarão como incorporam suas vivências concretas à tradição da Bossa, promovendo um show que mostra uma Bossa cada vez mais Nova e cada vez mais cheia de influências do jazz, do choro e do samba.

No repertório, Valsinha (Chico Buarque); Samba em Prelúdio (Baden Powell e Vinícius de Moraes); Samba do Avião (Tom Jobim); Arrastão (Edu Lobo e Vinícius de Moraes); Doce Amargo (Fred Martins e Marcelo Diniz); Até o Fim (Chico Buarque); A Banca do Distinto (Billy Blanco); Refém da Solidão (Baden Powell e P.C. Pinheiro); Tico Tico no Fubá (Zequinha de Abreu); A Felicidade (Tom Jobim e Vinícius de Moraes) e Prá Dizer Adeus (Edu Lobo e Torquato Neto) entre outras, que atuam desde a época Pré-Bossa Nova até os dias de hoje.

O Vinicius Bar fica na Rua Vinicius de Moraes, 39 - Ipanema, RJ. O show será às 22h30 e os ingressos custam R$30. Mais informações pelos telefones 2523-4757 e 2287-1497.

Foto: Pedro Luz

Especial Villa-Lobos

Já que uma andorinha só não faz verão, e ideias sem apoio não vingam, conto com a participação de Carol Freitas em mais um especial do blog. E, agora, é a vez de Villa-Lobos. Para começar, a introdução escrita por Carol. Aproveito para convidá-los a conhecer o blog dela, Tigela Colorida.


“Considero minhas obras como cartas que escrevi à posteridade, sem esperar resposta.”

1887. Nasce no Brasil o homem que revolucionaria a história da música erudita no país: Heitor Villa-Lobos. Inspirado em nomes como Sebastian Bach e no folclore brasileiro, Villa-Lobos compôs peças que seriam depois imortalizadas em nosso cenário musical. Compôs concertos para quase todos os instrumentos e democratizou o erudito de forma bem brasileira em toda sua obra.

Compositor, maestro, e um militante da nossa arte fora do país, Villa-Lobos defendeu intensamente sua própria forma de compor, de misturar estilos, de lutar por sua carreira, mesmo ainda sendo desconhecido do público no Brasil.

Dentre seus trabalhos, nos agraciou com as “Bachianas Brasileiras” – em que uma delas ganhou letra de Ferreira Gullar, transformando-se no clássico “Trenzinho Caipira” -, “Choros”, e que são consideradas suas mais importantes composições. Criou também para o cinema, corais e óperas. Colocou em cada uma delas um sentimento de brasilidade e de inovação, que nem sempre era bem recebido pela crítica e pelas platéias, mas que ficou para nós como um dos legados mais importantes de sua obra: a originalidade.

Nesse ano, onde se completa 50 anos de sua morte, Villa-Lobos será homenageado pelo Blog Cultura em Movimento, com uma série que mostrará, em 3 matérias, o caminho seguido pelo artista, sua luta, contribuição e paixão pela música brasileira.

Na próxima semana, a primeira matéria: Villa-Lobos e a música do Brasil.

Adryana BB lança CD no Rio


Começou ontem a temporada de lançamento do CD “Do barro ao ouro” (Saladesom Records), de Adryana BB, no Rio de Janeiro. Os shows acontecem no Rio Scenarium, na Lapa, sempre com participações especiais. No primeiro show, Adryana dividiu o palco com Lucio Sanfilippo. Nesta quarta-feira, 14, é a vez da cantora carioca Manu Santos, e no dia 15, quem participa é o maracatu carioca Gebav.

Gravado na Sala Baden Powell em junho de 2008, “Do barro ao ouro” reuniu compositores da temática nordestina e traz um repertório inédito de autores consagrados como Paulo Cesar Pinheiro & João Lyra na faixa “Coco da Canoa”, Geraldo Azevedo & Geraldo Amaral em “Xamego do bom” e os novos Daniel Gonzaga com “Laranjeiras”, Irinéa Maria Ribeiro e seu “Tiriê Pintassilgo”, do Japão Mio Matsuda em parceria com João Lyra no maracatu “Estrela do Mar”, a regravação de “É Roma Pegando Fogo” de Carlos Fernando, além de músicas da artista sozinha como em “Minha Flor”, “Pandeirada” e “Dona Biu”, e em parceria com o jornalista e letrista pernambucano Gilvandro Filho, a faixa “Saudade”.

No show, além do repertório do CD na íntegra, a artista passeia por clássicos de samba citando Noel Rosa, Chico Buarque, João Nogueira e Zé Keti, relembra alguns sambas de enredo da década de 70 e 80, entra na cultura afro-nordestina em cirandas, maracatus e afoxés, e canta também algumas de sua autoria o maracatu “Loa aos Pretos” que lhe rendeu o TIM/07 no CD “Lapada!”, do Rio Maracatu, grupo do qual Adryana foi líder durante muitos anos.

Nessa temporada, Adryana BB é acompanhada por Cassio Cunha (bateria), Zé Leal (percussão), Humberto Mirabelli (violões), Gustavo Gama (baixo acústico) e Guilherme Maravilhas (acordeon).

Show de lançamento do CD “Do Barro ao Ouro”
Local: Rio Scenarium – Rua do Lavradio, 20 – Centro.
Data: 14 e 15/10
Hora: 22hs
Preço:15,00
Capacidade: 500 lugares

Adryana também vai fazer Pocket show na Livraria Saraiva, dia 23/10:
Pocket show de lançamento do CD “Do Barro ao Ouro”
Local: Saraiva do Ouvidor - Rua do Ouvidor, 98A - Centro.
Data: 23/10
Hora: 12:30hs
Entrada Franca

terça-feira, 6 de outubro de 2009

O jornalismo em pauta

O projeto Jornalismo Literário realiza, nesta quarta-feira, seu penúltimo encontro. O tema é "Fato ou Ficção: Os Relatos da Memória", e conta com a participação dos escritores Heloísa Seixas e Zuenir Ventura. O evento acontece no Teatro II do CCBB (Centro Cultural Banco do Brasil), no Rio de Janeiro, às 18h30.

O projeto é um ciclo de palestras mediado pelo jornalista cultural Álvaro Costa e Silva, e tem a intenção de debater o que de melhor o jornalismo brasileiro produziu e produz: os livros-reportagem, as biografias de grandes mitos de nossa cultura, as experiências inovadoras da mídia que deram certo e fizeram história.

Neste penúltimo encontro estarão em pauta o livro “1968: O ano que não terminou”, de Zuenir Ventura, além do livro “O lugar escuro” e a série investigativa “O Acre de Chico Mendes”, de Heloísa Seixas.

A estreia do projeto foi no mês de maio e os encontros mensais, sempre na primeira quarta-feira do mês, serão realizados até o mês de novembro. O CCBB fica na Rua Primeiro de Março, 66 – Centro, RJ. A entrada é franca e as senhas começam a ser distribuídas uma hora antes do evento.

Lanna Rodrigues na Rádio MEC


A cantora Lanna Rodrigues participa, nesta quarta-feira, do programa Ao vivo entre amigos, apresentando músicas do CD Marcas do Passado. O show aocntece no auditório Paulo Tapajós e será transmitido ao vivo pela Rádio MEC AM (800 MHZ). O programa, que começa às 17h, sempre traz um nome da Música Popular Brasileira que já virou referência.


Para quem quiser assistir ao programa ao vivo, a entrada é franca e as senhas começam a ser distribuídas a partir das 16h. A Rádio MEC fica na Praça da República 141 - A - Centro – RJ.

quinta-feira, 1 de outubro de 2009

"Tio, me dá um livro?"


“Tá relampiano, cadê neném?
Tá vendendo drops no sinal pra alguém...”

(Relampiano – Lenine / Moska)

No meio de tantos supérfluos que encontramos na internet, algumas vezes damos sorte de garimpar boas ideias. Foi o que aconteceu com o artigo “Vale mais que um trocado”, escrito pelo jornalista Rodrigo Ratier para o site da revista Nova Escola, da editora Abril.


O texto conta a experiência de Rodrigo durante um fim de semana em que ele distribuiu livros para moradores das ruas de São Paulo, em vez de dar-lhes esmola. “É possível estabelecer uma relação que, talvez, seja mais humana com as pessoas em situação de rua”, disse ele, que alega ter continuado com a distribuição de livros mesmo depois da publicação da matéria.


Mostrando, na prática, que um pouco de cultura e atenção valem mais que um trocado, o episódio narrado pelo jornalista foi uma experiência bem sucedida. Segundo ele, esta foi a matéria que mais repercutiu, em seus 11 anos de profissão.


Rodrigo conta que a história começou em uma das reuniões de pauta na revista. Na ocasião, a coordenadora pedagógica Regina Scarpa relatou que ela andava com uma caixa de livros no carro, para distribuir, preferencialmente, às crianças. Da história contada pela “tia do livro” – como Regina ficou conhecida -, Rodrigo vislumbrou a possibilidade de uma boa reportagem. E partiu para as ruas.


Mesmo com as boas iniciativas, a vida segue avassaladora. O mundo gira cada vez mais veloz, e a famosa falta de tempo nos faz fechar os olhos frente às desigualdades, esquecendo de olhar para o próximo, que está ali bem ao lado, mas que ignoramos sua presença. Porém, como disse Rodrigo, “faz toda a diferença para alguém que entrou nessa profissão com o sonho de mudar o mundo, saber que, vez em quando, alguma coisa do muito que a gente escreve consegue tocar a vida de alguém”. E é por profissionais como esse, que eu tenho orgulho de ser jornalista.

Foto: Rogério Albuquerque

Elisa Addor faz temporada no Centro Cultural Carioca


A cantora Elisa Addor estreia nesta quinta-feira uma série de shows que fazem parte do pré-lançamento de seu CD, que tem previsão de sair em dezembro. Elisa estará acompanhada do grupo Cana de Litro e, a partir do dia 8, recebe um convidado por noite. Os shows serão no Centro Cultural Carioca, sempre às quintas-feiras, a partir das 21h30.

Elisa tem se destacado na cena musical carioca, se apresentando em diversas casas de samba da Lapa. Junto com o Cana de Litro, a cantora ganhou, em 2006, o primeiro concurso Jovens Bambas do Velho Samba realizado pela Casa de samba Carioca da Gema. Desde então, Elisa faz parte do quadro fixo da Casa, além de comandar a roda de samba do Bar Semente, também na Lapa.

Em seus shows, Elisa canta grandes clássicos de artistas como Chico Buarque, Caetano Veloso, Cartola e Dorival Caymmi. No seu CD de estreia, que tem direção musical de Edu Krieger, a cantora fará releituras de sucessos, além de músicas inéditas.

Os convidados de Elisa serão: Moyseis Marques (8), Nilze Carvalho (15), Marcelo Caldi (22) e Edu Krieger (29). O Centro Cultural Carioca fica na Rua do Teatro, 37 – Praça Tiradentes, RJ. Mais informações pelo telefone (21) 2252–6468.

Espetáculo “Casablanca & Senzala!” garante encontros inusitados

Mais uma matéria minha no portal "Minha notícia", do IG. Dessa vez, é sobre o espetáculo "Casablanca & Senzala!", que estará em cartaz, neste fim de semana, no Bar do Tom, RJ:

Criado pelo cartunista e cantor bissexto Chico Caruso, a partir de uma idéia do musicólogo Ricardo Cravo Albim, "Casablanca & Senzala!" traça um paralelo entre o filme americano, o Brasil de 1942 e o mundo de hoje. Questões românticas, políticas e sociais são mostradas através da música, da dança, da magia e das artes circenses.
Leia a matéria completa aqui.

quarta-feira, 30 de setembro de 2009

Diva em apuros


Uma matéria minha saiu hoje no site "Minha notícia", do IG. A reportagem é sobre a pesquisa que está disponível no site da cantora carioca Manu Santos. Ela quer ajuda para escolher a capa do 1º CD dela:

A cantora Manu Santos disponibilizou no seu site uma pesquisa para saber a opinião do público sobre como deve ser a capa do seu primeiro CD. No questionário, a cantora faz perguntas sobre preferência musical, quantidade de discos comprados e de shows assistidos nos últimos meses, além de perguntas mais específicas sobre a capa do CD, como a cor e o tipo de foto que deve ser usada. O objetivo é conhecer quem está opinando, para fazer um disco mais perto do gosto de seu público.

Leia a matéria completa aqui.

E-mails para Clarice


O ator e escritor Julio Corrêa lança, nesta quarta-feira, 30, seu terceiro livro, “E-m@ils para Clarice: ensaio sobre o medo de amar”. O evento acontece na Livraria da Travessa do Centro Cultural do Banco do Brasil (CCBB), a partir das 18h. A livraria fica na Rua 1º de Março, 66 – Centro, RJ.

O livro conta a história de um personagem que, diante do seu não-entendimento do mundo e das questões do sentir, trava um diálogo com a escritora Clarice Lispector, através de e-mails. O narrador se apropria dos títulos dos livros de Lispector, à medida que vai construindo a sua prosa, para contar ao leitor a sua dor de existir em um mundo repleto de conceitos contraditórios. É Clarice a primeira ouvinte desse ser perdido que vive em busca da compreensão de si mesmo e do outro: um alguém confuso e com medo de amar o desconhecido.

Além de ator, escritor e poeta, Julio, que também é militar da Marinha, coordena o Concurso de Poesias da Casa do Marinheiro (Prêmio Suboficial João Roberto Sobral). Seus outros dois livros publicados foram “Substantivo Desvairado-Sedutor” (2006) e “Íntimas Sensações” (2003), ambos de poesia.

sexta-feira, 25 de setembro de 2009

João Pinheiro & Manu Santos cantam Chico & Bethânia


Os cantores João Pinheiro e Manu Santos apresentam, nesta sexta-feira, o show João Pinheiro & Manu Santos cantam Chico & Bethânia. O show acontece às 21h na Lona Cultural Hermeto Pascoal, em Bangu.

Em plena ditadura militar um show histórico marcou a MPB. Foi no Canecão, em 1975, quando Chico Buarque, compositor de melodias densas, contestador, e Maria Bethânia, cantora dramática de voz poderosa, fizeram juntos um espetáculo em uma longa temporada que resultou na gravação de um LP: “Chico Buarque e Maria Bethânia Ao Vivo”.

Trinta e quatro anos depois, João e Manu refazem o mesmo repertório do disco. Clássicos de Chico, Ruy Guerra, Paulinho da Viola, Raul Seixas, Paulo Coelho, Haroldo Barbosa, Lupicínio Rodrigues, Luis Reis, Herivelto Martins, David Nasser, Hermínio Bello de Carvalho e Sueli Costa servem de texto para contar a história de um casal de sambistas, seus encontros e desencontros, tudo terminando em pleno carnaval.

Manu e João apresentaram esse show na Sala Baden Powell, em agosto, e tiveram uma resposta positiva do público, que cantou junto com a dupla. O show é puro luxo, com direito a troca de roupa e interpretações marcantes desses grandes clássicos.

Manu está em processo de gravação de seu primeiro CD. Voz intensa e timbre marcante, a cantora dá um toque pessoal a cada nota que canta, mesmo nas músicas mais conhecidas. Ouvir Manu, não é ouvir algo óbvio, mas um som envolvente e arrebatador.

Já João está em processo de gravação de seu terceiro CD, “Entrenós”, um disco de duetos entre o cantor e músicos como Edu Krieger, Ana Costa, Fred Martins, Eliana Printes e Rita Ribeiro. Além disso, o cantor está com duas músicas na trilha sonora da novela “Caras e Bocas”. Elas estão no seu segundo CD, “João canta Sade”, disco no qual João faz releitura de hits da cantora anglo-nigeriana Sade Adu, em ritmos latinos como samba, a ciranda,a bossa e o tango.

Para quem quiser se encantar com a dupla, a Lona Cultural Hermeto Pascoal fica na Praça 1° de Maio, s/n – Bangu – RJ.

Luanna Belini faz show em São Paulo


A cantora paranaense Luanna Belini se apresenta hoje no Espaço Cultural do Bar Fim de Mundo, em São Paulo. Luanna estará acompanhada do pianista e compositor Beto Bertrami, além de Rudy Arnaut (Guitarras), Airton Fernandes (Baixo) e Lael Medina (Bateria). O show será às 23h.

Luanna inicou sua carreira musical cedo, como baterista de uma banda feminina. Em seguida, estudou violão e o seu canto sempre ali, no canto, tímido, aos poucos foi entrando em cena e tomando as rédeas de uma carreira. Com o músico e compositor Nevilton, Luanna cantou por cinco anos nos principais bares e casas noturnas de Umuarama - PR e região. Além disso, Luanna trabalhou também com alguns musicais.

Agora, morando em São Paulo, Luanna tem se apresentado em bares da cidade, fazendo diversas releituras, além de cantar músicas autorais. Sua voz, de timbre claro e envolvente, dá novos tons a grandes clássicos que vão da bossa de Tom Jobim em “Falando de amor”, ao rock de “Teatro dos Vampiros”, da Legião Urbana.

A cantora está em processo de pré-produção de seu EP, que tem direção de Beto Bertrami.

O bar Fim do Mundo fica na Rua Alfredo Pujol, 403 - Santana - São Paulo – SP. Mais informações pelo telefone (11) 2281-0320.

quinta-feira, 24 de setembro de 2009

Fim de semana com as Mulheres de Chico


O bloco carioca Mulheres de Chico faz dois shows no Rio de Janeiro neste fim de semana. Na sexta-feira, 25, o grupo sobe ao palco do Posto 8 (antigo Mistura Fina), em Ipanema. No sábado, 26, o MDC agita os malandros e cabrochas da Lapa, num show no Estrela da Lapa.

Idealizado por Gláucia e Vivian no carnaval de 2003, o MDC é formado por cerca de 30 batuqueiras, algumas integrantes de outros blocos cariocas. No repertório, apenas canções daquele que mais entende da alma feminina: Chico Buarque.

Para quem quiser comparecer aos shows no clima do Mulheres de Chico, camisas podem ser encomendadas através do e-mail
michelerum@gmail.com. Adesivos também estão à venda.


Serviço:
Posto 8, 25/9, Sexta:

Preço único: 20,00 (Não haverá lista-amiga)
Abertura da casa: 22 hs. Show às 23 hs
Av. Rainha Elizabeth 769 - Ipanema. Informações: (21) 2523-1703

Estrela da Lapa, 26/9, Sábado:
- Av. Mem de Sá, 69, Lapa, Rio de Janeiro, RJ.
Reservas/promoção para aniversariantes diretamente através do telefone (21) 2507.6686.

- Abertura da casa às 21h, show previsto para as 23h. DJ antes e depois do show!
- Ingresso: R$ 30,00; R$ 25 (300 primeiros); R$ 21,25 - Assinante o O Globo; R$ 15 - meia; R$ 20,00 - LISTA AMIGA*.

*Para garantir o desconto da LISTA AMIGA, basta enviar o nome/sobrenome para atendimento@estreladalapa.com.br até as 17h do dia 26/09.

(Também serão incluídos na lista amiga os nomes enviados para contato@mulheresdechico.com.br ou para o tópico lista amiga estrela na comunidade MDC do orkut até as 12h do dia 26/09.)

- Pagamento da entrada somente em dinheiro. Desconto da lista-amiga vale até a meia-noite.

Expomusic

A partir desta sexta-feira, as portas da 26ª edição da Expomusic se abrem para o público. O evento, que teve início no dia 23, reúne astros internacionais e nacionais da música, mais de 200 expositores com produtos, workshops, tarde de autógrafos e muitos negócios realizados.

Além disso, o evento vai servir para divulgar ainda mais a nova lei federal, que obriga a inclusão do ensino musical na disciplina de Artes no Ensino Básico. As últimas novidades tecnológicas da indústria musical também aparecem como uma das atrações da feira.

Será possível conferir também uma exposição em homenagem a música clássica. O Conservatório Villa-Lobos organiza a mostra 50 anos sem Villa-Lobos. E como o evento se trata exclusivamente de música nada mais justo do que um espaço para apresentações. No Music Hall, vários pocket shows acontecem de sexta até o domingo, último dia do evento.

A Expomusic acontece no Expo Center Norte, que fica na Avenida Otto Baumgart, s/nº Vila Guilherme - São Paulo, SP.

Diversidade marca presença no XVI Festival de Música Instrumental da Bahia


A primavera chega com mais luzes, sons e ritmos este ano, em Salvador, com a realização da décima sexta edição do Festival de Música Instrumental da Bahia. O evento acontece entre os dias 24 e 27 de setembro, no palco principal do Teatro Castro Alves.

Serão doze atrações, entre artistas baianos e convidados especiais de São Paulo, Rio de Janeiro e Pernambuco, com uma variedade de gêneros e estilos que vão do jazz ao samba, do forró ao frevo, experimentação e pesquisa, numa vitrine musical que destaca os novos talentos e também traz para o público nomes já consagrados. A programação terá ingressos a preços populares de R$ 10,(inteira) e R$ 5, (meia), com três apresentações por noite, sempre a partir das 20 horas.

Na noite de abertura, o convidado especial é a Orquestra Rumpilezz, lançada no Festival há três anos, pelo maestro e compositor Letieres Leite. Além dos convidados especiais, o Festival selecionou de um total de 50 inscritos oito solistas e bandas da Bahia, que trazem trabalhos inéditos e retrospectivas.

O Festival é uma realização da Mil Produções Artísticas, com a curadoria do maestro Zeca Freitas e do pianista e ator Fernando Marinho. Apoio do Fundo de Cultura, da Secretaria de Cultura do Estado da Bahia e Teatro Castro Alves. O Teatro Castro Alves fica na Praça Dois de Julho,s/n , Campo Grande – Salvador, BA.

Fonte: Teatro Castro Alves.

Programação:
24/09 (quinta-feira) - 20 horas
A Música dos pianistas de Salvador com Saulo Gama e Bira Marques Ceguêra de Nó Orquestra Rumpilezz (BA)

25/09 (sexta-feira) - 20 horas
Ivan Bastos e Banda Orlando Costa Jaques Morelenbaum e Cello Samba Trio (SP)

26/09 (sábado) - 20 horas
Maria Mitouzo e BandaF. A. & a ClaveTrio 202 (RJ)

27/09 (domingo) – 20 horas
Julio Caldas e Cassio Nobre – Viola de ArameLuizinho Assis & Grupo Spok Frevo Orquestra (PE)

quarta-feira, 23 de setembro de 2009

Influência da Bossa


A “Miss Ritmo” Thaís Motta e Marvio Ciribelli apresentam o show “Influência da Bossa”, nesta quinta-feira, no Teatro Posto 6, em Copacabana. O show contará com a participação do compositor e cantor Marcio Montserrat.

No repertório, arranjos para "Até o Fim" (Chico Buarque) e A Banca do Distinto (Billy Blanco). Marcio Montserrat canta com Thaís uma composição sua chamada “Garota de Copacabana”, lembrando, é claro, a força da música Garota de Ipanema, levada para a atualidade de Copacabana. Além destas, o show conta com músicas de Tom Jobim, Baden Powell, Paulo Cesar Pinheiro, entre outros.

Thaís lançou recentemente seu CD de estréia, “Minha estação”, que mostra que a cantora veio para ficar. Ela canta música brasileira de muita qualidade, e, por isso, ela encanta; encanta por sua personalidade musical, por sua presença, por seu ritmo. Não é à toa que ela ganhou o apelido de “Miss Ritmo” de Marcio Bahia, baterista de Hermeto Pascoal.

O show “Influência da Bossa” será às 20h, e os ingressos custam R$20 (inteira) e R$10 (meia). Para quem ligar para (21) 2287.7496 ou 9348.6644 até às 14h de quinta-feira paga R$10,00. O Teatro Posto 6 fica na Rua Francisco Sá, 51 – Copacabana, RJ.

terça-feira, 22 de setembro de 2009

Rock por Elas


Termina hoje as inscrições para o projeto Rock Por Elas. Mostrando que o rock também faz parte do universo feminino, o projeto tem por objetivo de reafirmar a força e o papel das mulheres na cena independente. Serão escolhidas quatro bandas, que farão shows em outubro, na Drinkeria Maldita, uma das casas do conceituado Grupo Matriz - situada na Rua Aires Saldanha, 98. Copacabana - Rio de Janeiro.

Cada festa contará com um show de uma banda selecionada e um DJ tocando clássicos do rock feminino. Quem abre a festa é a banda Unidade Imaginária, organizadora do evento. Formada por Mariana Volker (voz, piano e guitarra), Valentina Zanini (baixo e backing vocal) e Leo Vilhena (guitarra e backing vocal), a UIM traduz, nos solos de guitarra do melhor rock’n’roll, a elegância da MPB, presente no piano e na voz melodiosa de Mariana.

A banda acaba de lançar um “aperitivo” de “Alquimia”, o álbum que virá. Esse pré-lançamento conta com cinco músicas que representam diferentes emoções e temas, numa linguagem própria que é explorada por todo o trabalho. As letras tratam dos sentimentos que fervilham nas relações amorosas, a música passeia pelas dúvidas, erros e acertos que todos temos. A mensagem central é que mesmo em finais pouco felizes, viver intensamente e aceitar os próprios sentimentos nos enche de esperança e força para levantar e seguir em frente, após os “foras” e quedas.

Para mais informações sobre a UIM e o Rock Por Elas, acesse o site: http://www.unidadeimaginaria.com.br/

sexta-feira, 11 de setembro de 2009

Música e fotografia numa só sintonia

Thiago Rabello
“Quando fotografo música, interligo as duas profissões ao máximo. Fotografo o show como se estivesse tocando junto”. Se uma imagem vale mais que mil palavras, uma foto tirada por uma cantora pode transmitir a alma desse “fazer musical”, através da sensibilidade de quem conhece “o outro lado”.

E, seguindo a tendência do profissional capaz de transitar por várias áreas, a arte também vem revelando esses talentos “multidisciplinares”. Na era da conectividade, flexibilizar é preciso. A cantora, compositora e fotógrafa paulista, Dani Gurgel, é um exemplo dessa diversidade.

Dani iniciou ainda criança seus estudos na música. Vinda de uma família musical – com mãe pianista e pai saxofonista -, ela ingressou em seus estudos musicais aos três anos de idade. Antes de se revelar como cantora e compositora, Dani passou muitos anos transitando pela música instrumental. Ela começou como saxofonista da big band da Universidade Livre de Música, regida por Roberto Sion. Também passou pela banda que acompanhava o Zimbo Trio, e foi baixista do grupo Quincas, com Tó Brandileone e Vinicius Calderoni. Neste último, desenvolveu suas composições em tempos de faculdade. Da passagem pelo instrumental, Dani afirma que aprendeu respeitar a todos como membros de um grupo só, e não como músicos acompanhantes. “Por isso me preocupo muito em dar espaço aos músicos que tocam comigo, pra solos, pra arranjo, pra idéias. O som é nosso, não meu”, diz ela.

A profissionalização na música veio na mesma época em que Dani também se profissionalizava na fotografia, por volta dos 14 anos de idade. Unindo as duas artes em sua vida, Dani tem na câmera fotográfica, mais um instrumento. Em seu currículo, ela tem fotos das capas dos discos de Mônica Salmaso (Noites de gala, samba na rua), Rafa Barreto (Rafa Barreto), Ray Kennedy (The Music of Arthur Schwartz), Tó Brandileone (Tó Brandileone), Quatro a Zero (“Choro Elétrico” e “Porta Aberta”) e Pau Brasil (2005).

Prosseguindo nessa ideia de “agregação”, Dani lançou o projeto “Dani Gurgel e Novos Compositores” que, não só apresentou Dani Gurgel como cantora e compositora, mas evidenciou a união de uma nova geração de músicos paulistas em busca de um mesmo espaço. “Acho que dessa maneira todos conseguimos mais, e juntos. Não podemos, nunca, ver o outro como concorrente. Somos aliados, isso sim”, conta.

Durante os espetáculos, Dani gravou um e.p. com quatro canções: uma própria e três que fizeram parte da série. O disco, apelidado ‘compacto’, não foi apenas um ensaio para a produção de um futuro ‘long-play’, mas um trabalho conciso, em tempos de distribuição digital, que abriu muitas portas para sua divulgação. O disco hoje está disponível para venda digital na Tratore.

Seu projeto autoral ‘Da Pá Virada’, de canções em parceria com Debora Gurgel, foi vencedor do Prêmio Nascente (Pró-reitoria de Cultura e Extensão da Universidade de São Paulo) em 2007, o que lhe rendeu uma série de shows pelos campi da universidade e um disco "Nosso", gravado com a ajuda financeira do prêmio recebido, com seu repertório baseado em novos compositores paulistanos.

E, no próximo sábado, 12 de setembro, Dani lança “Agora”, seu terceiro CD. Inspirado na série “Dani Gurgel e Novos Compositores”, e produzido por Thiago Rabello, o disco terá compositores considerados “novos” por terem no máximo um disco solo gravado. No disco, Dani convida esses compositores para participarem, cantando ou tocando seu instrumento em suas canções.

O show será às 21h no Auditório Ibirapuera, em São Paulo. O endereço é Av. Pedro Álvares Cabral s/nº - Portão 2. Mais informações pelo telefone (11) 3629-1075.

sexta-feira, 28 de agosto de 2009

O lirismo e a sensibilidade no espetáculo Palavra de Mulher


“Uma mulher que é feita de música
Luar e sentimento, e que a vida
Não quer, de tão perfeita

Uma mulher que é como a própria lua:
Tão linda que só espalha sofrimento,
Tão cheia de pudor que vive nua”.

(Soneto do Orfeu – Vinicius de Moraes)

Vinicius de Moraes é um dos tantos poetas que usaram a mulher como tema e inspiração. E a mulher foi inspiração não só para a poesia, mas para a música, o teatro e outras formas de arte. Assim como a arte tem as suas várias formas de expressão, a mulher tem as suas várias faces: ela é mãe, esposa, profissional; mas, acima de tudo, ela é MULHER, e carrega consigo a maior de todas as características da arte: a sensibilidade.

E, por que não uma mulher falando das mulheres? O espetáculo “Palavra de Mulher” vem com o objetivo de unir as várias formas de arte, como a música, o teatro e a poesia, usadas como subsídio para uma jornada poética, filosófica e musical pela alma feminina.

A cantora Eduarda Fadini, reuniu no espetáculo textos próprios, poesia de grandes autoras, como Adélia Prado, Cecília Meireles, Florbela Espanca, além da música de grandes compositores brasileiros, como Chico Buarque, Ary Barroso e Antonio Carlos Jobim. Ela ainda faz referência a grandes intérpretes como Maria Bethânia, Elis Regina e Nana Caymmi. Dessa maneira, Eduarda desnuda a alma feminina num espetáculo de profundo lirismo, que descreve os caminhos e descaminhos da mulher em busca do amor, resultando numa celebração da feminilidade em toda sua plenitude. “Creio que muitas mulheres já se viram nessa situação, envolvidas por poesia e música, amores e saudades”, diz a cantora. Para Eduarda, esse espetáculo é uma entrega plena e visceral do que a move em direção à arte, à paixão, ao amor, à dor e ao prazer.

O espetáculo “Palavra de Mulher” estará nesta sábado, 29, no Espaço Rio Carioca, às 20h. O endereço é Rua das Laranjeiras, 307. Mais informações pelo telefone (21) 2225-7332.

Não esqueça de votar no blog no Prêmio Blog Books! Entre em www.blogbooks.com.br/categorias/artesecultura e vote no Cultura em Movimento! A votação é até o dia 11/9! Divulguem!!!

terça-feira, 25 de agosto de 2009

Pegando Carona nas boas ideias


“O mundo vai girando cada vez mais veloz
A gente espera do mundo, e o mundo espera de nós
Um pouco mais de paciência...”


Nesses versos de Lenine, temos a perfeita tradução de como vivemos – ou nos deixamos viver. Já dizia Cazuza que “o tempo não para”. E não para mesmo. Mas a velocidade com que o sentimos passar – e a qualidade com que isso acontece – tem nossa total influência. Podemos viver 100 anos e não aproveitar nada, assim como 1minuto pode valer por uma vida inteira. O tempo é uma questão subjetiva, e nós viramos escravos dele; escravos da correria, da pressão, da falta desse tempo. Quem nunca desejou que o dia tivesse mais horas, para dar conta de todas as atividades necessárias de serem desempenhadas? E o tempo é algo tão presente em nossa vida, que influencia em todos os campos, inclusive na arte.

A Internet – grande aliada dos “sem tempo” – encurtou as distâncias, é bem verdade. Mas essa mesma ferramenta, hoje indispensável para a maioria de nós, também neutralizou as relações e tornou-as superficiais. Na arte, a Internet possibilitou que mais pessoas tivessem acesso aos movimentos culturais de diferentes lugares. Mas, também, parcerias tornaram-se virtuais, e o encontro ao vivo se torna cada vez mais escasso. Dessa maneira, podemos dizer que a Internet, ao mesmo tempo que aproxima, ela afasta.

E toda essa introdução acerca do tempo, da distância e da proximidade é para apresentar um projeto que veio quebrar essa superficialidade das relações, dando espaço – e tempo – para o encontro de diferentes artes. Música, teatro, poesia e muita união são os ingredientes dessa jam session. A idéia de Raquel Koehler com o Projeto Pegando Carona é levar diversos talentos, todos pegando carona uns com os outros, promovendo uma noite única de diversão e bom entretenimento ao público.

Além da diversão, o projeto tem cunho beneficente, e parte da renda dos shows será revertida, em parceria com a Casa da Vida (casadavida.blogspot.com), ao Nosso Lar, instituição sem fins lucrativos que apoia crianças carentes de diversos bairros do Rio de Janeiro. Com capacidade para atender 120 meninos e meninas, a casa, que oferece reforço escolar, informática, acompanhamento psicológico, entre outros serviços, e está prestes a completar 59 anos de existência, atualmente encontra-se com as portas fechadas, devido a problemas financeiros.

Nas três semanas em que o projeto está no Centro Cultural Carioca, muitos nomes já passaram por lá, entre eles o ator Cláudio Henrich, cantor, compositor e poeta baiano, Zéu Brito, os cantores João Pinheiro e Lanna Rodrigues, e a atriz Pitty Webo.

Para a última quarta-feira do projeto, os convidados serão a atriz e cantora Zeze Mota, Manu Santos, André Gabeh e o estilista Flávio Mothe. O cantor e compositor Marcus Lima também estará por lá, juntamente com o jornalista Beto Feitosa (Ziriguidum/Mpb.com/Music News), que subirá ao palco, falando sobre o projeto, defendendo a causa e somando sua força.

Para quem quiser embarcar nessa viagem, o último dia de temporada do projeto Pegando Carona acontece nesta quarta-feira, 26, às 20h30, no Centro Cultural Carioca. O endereço é Rua do Teatro, 37 – Centro, e mais informações podem ser obtidas pelos telefones (21)2252-6468 e 2242-9642. Boa viagem!


Não esqueça de votar no blog no Prêmio Blog Books! Entre em www.blogbooks.com.br/categorias/artesecultura e vote no Cultura em Movimento! A votação é até o dia 11/9! Divulguem!!!

segunda-feira, 24 de agosto de 2009

Sol na Garganta do Futuro lança novo vídeo na internet

Gravado ao vivo na cidade de Aracruz, norte do Espírito Santo, ano passado durante o projeto Circulação Cultural o video está disponível em alta definição (HD) para streeming e download no Blog Garganta (http://www.solnagargantadofuturo.com.br/). A música “Isso Tudo é como um Rap” foi composta sobre poema homônimo e acompanha o repertório do grupo há alguns anos, tornando-se uma espécie de clássico – muito querida do público.

O Sol na Garganta do Futuro é um grupo que mistura música e poesia e, desde 2001, apresenta uma proposta inovadora no campo das artes. Os insturmentos musicais dão às poesias o tom exato, enquanto os versos dão lirismo às notas entodas. O grupo é formado pelo carioca Daniel Bosi (sopros/violão/voz) e pelos capixabas Fabricio Noronha (voz/poesia), Hugo Reis (guitarra), Vinicius Fabio (contrabaixo/voz/ruídos) e Erico (bateria/percussão)

No vídeo, destaque para o cenário desenhado em parceria com o design e iluminador Felipe Gomes, composto por luminárias vermelhas em movimento, painéis de acrílico suspensos e imensa imagem de fundo. A edição e captação é do videomaker Thiago Moulin, integrante da turnê que rodou seis cidades de norte a sul do estado, produzindo mais de 15 horas de material bruto.

Atualmente o grupo trabalha na pré-produção de seu primeiro disco a ser lançado no início de 2010 e se prepara para alguns shows em vista nos próximos meses nas cidades de Vitória, São Paulo, São Carlos, Uberlândia e Florianópolis.

Isso tudo é como um rap
Toda a dor do mundo num sopro

Lanço gestose gestos dão frutos.
recolho com a outra mão os futuros.

Mudo de roupa como quem muda de década.
E sonho.
Sonho.
Sonho.

Afino minha guitarra outra vez.
E toco.
Toco.
Toco.

Acho extravagante a blusa de meu pai
Acho um exagero o laço na minha mãe.

Meio parado na frente do espelho
Passo a maquiagem.com o pó que minha sensação injeta.
com a firmeza dos tantos heróis na reprise.
E reprisa.
Reprisa
Reprisa.

São meus netos repetindo na tevê.
É minha cara cheia de vergonha e orgulho.
São coisas quebradas.
Partidas. Dialogadas.

Respostas sem erro.
Piadas absolutamente engraçadas.

Aqui ninguém morre fome.
O presidente é amigo do meu pai.

(Fabricio Noronha, livro "Sangue Som Fogo")

Para assistir ao vídeo, clique
aqui.

Não esqueça de votar no blog no Prêmio Blog Books! Entre em www.blogbooks.com.br/categorias/artesecultura e vote no Cultura em Movimento! A votação é até o dia 11/9! Divulguem!!!

quinta-feira, 20 de agosto de 2009

Top Blog - Segunda fase!

Galeraaa!

Acabo de saber que o blog passou pra segunda fase do Prêmio Top Blog!!! Uhuuuu!!!
Muito obrigada pelo voto de vocês! Agora é torcer pra juri acadêmico gostar dele! hahahaa

O resultado sai dia 31/08.

E, mais uma vez, peço para agora vocês me ajudarem no Prêmio Blog Books... Vamos lá, galera. Rumo ao sucesso absoluto! hahaha

Para votar, é só entrar no site www.blogbooks.com.br/categorias/artesecultura selecionar o Cultura em Movimento, e colocar seu nome e e-mail.

Beijão!!

quarta-feira, 19 de agosto de 2009

Prêmio Blog Books!


Caros leitores,

É com grande alegria que comunico o Cultura em Movimento, foi indicado a mais um prêmio! [o resultado do outro ainda não saiu, mas assim que isso acontecer, eu divulgo!]

O prêmio da vez é o Blog Books, e o blog está concorrendo na categoria Artes e Cultura. O vencedor de cada categoria vai ter seu blog transformado num LIVRO! Não é lindo? hahahaha

Para votar, vá ao site
www.blogbooks.com.br/categorias/artesecultura e escolha o Cultura em Movimento. Conto com a ajuda e divulgação de vocês!

Grande beijo!

segunda-feira, 17 de agosto de 2009

Thaís Motta faz show no Rio de Janeiro


A cantora carioca Thaís Motta é uma daquelas artistas que se destacam. Ela canta música brasileira de muita qualidade, e, por isso, ela encanta; encanta por sua personalidade musical, por sua presença, por seu ritmo. Não é à toa que ela ganhou o apelido de “Miss Ritmo” de Marcio Bahia, baterista de Hermeto Pascoal. Thaís veio para ficar, e a prova está em seu CD, ”Minha Estação”, que tem uma musicalidade digna dessa estrela que começa a despontar no céu da música brasileira.

O destaque que Thaís ganha em relação a outros artistas vem, junto com seu talento, de sua influência musical, que passa por Tânia Maria, Leny Andrade, Elis Regina, Rosa Passos, Filó Machado e Bobby Mc Ferrin, o que também a diferencia da maioria das cantoras de sua geração. No fim do ano passado, Thaís fez apresentações na França, onde lançou o CD “Minha Estação” para a Europa, em show para 25 mil pessoas na cidade de Lyon, onde se comemorava os 50 anos da Bossa Nova.

E, nesta terça-feira, 18, às 19h30, é a hora de sintonizar na estação de Thaís Motta e conferir essa estrela iluminando o palco do Teatro Rival. O show terá direção musical do pianista Marvio Ciribelli, que foi o responsável pela produção do CD, e contará com a participação especial de artistas como Altay Velloso, Chamon, Célio de Carvalho, Mauro Costa Jr e Ronaldo do Bandolim. O Teatro Rival fica na Rua Álvaro Alvim, 33 / 37 – Cinelândia, RJ. Mais informações pelos telefones 2240-4469 e 2240-9796.

Sintonize:
www.myspace.com/thaismotta

domingo, 16 de agosto de 2009

Renata Adegas lança CD no Rio de Janeiro

A cantora gaúcha Renata Adegas faz show nesta segunda-feira, 17, na Modern Sound, lançando seu primeiro CD, Sambô. Gastão Villeroy, Kiko Continentino e Daniel Gordon acompanham a cantora neste show, que ainda conta com a participação do músico Eduardo Neves e do compositor e cantor Cláudio Lins.

Com sua voz envolvente, Renata dá um toque especial a cada nota que canta. É tudo feito com um cuidado e dedicação que são claros para quem a ouve. Juntando isso às belas letras, Sambô é um CD imperdível. E a mistura é garantida pelos ritmos variados presentes nas faixas, o que aumenta ainda mais a riqueza de seu trabalho.

Renata mostra-se uma artista de muitas vertentes, assinando cinco músicas de seu CD, além de ser uma intérprete de muita qualidade, como em “Recado”, de Gonzaguinha. Outro destaque é “Cara-de-pau”, uma de suas composições com Michel Dorfman, música alto astral e de ritmo envolvente. Os arranjos do CD também merecem seu destaque, por sua qualidade, tornando as melodias agradáveis aos ouvidos, ao mesmo tempo em que surpreendem. As músicas de Renata não são nada óbvias. E essa “não obviedade” no trabalho da cantora também se deve ao fato das influências que ela possui, que vão do pop rock à MPB, e foram conquistadas ao longo do caminho que sua carreira percorreu, até chegar nesse momento, com um trabalho sólido e autoral.

Para quem quiser conferir o balanço de Renata Adegas, o show será às 19h, e a Modern Sound fica na Rua Barata Ribeiro, 502 – Copacabana. Informações e reservas pelo telefone 2548-5005.

Para ouvir Renata Adegas:
Site
MySpace

sábado, 15 de agosto de 2009

Destaques da programação da Rádio MEC

Em 1923, com o prefixo SQA-A, entrava no ar a Rádio Sociedade do Rio de Janeiro, que, 13 anos depois, seria rebatizada como Rádio Ministério da Educação, hoje, Rádio MEC.

A primeira rádio educativa do Brasil, fundada por Edgard Roquette-Pinto e Henrique Morize, não aceitava propaganda política ou comercial e nasceu com compromisso de levar educação e cultura à população brasileira. Por isso, sem condições de manter e modernizar o seu parque de equipamentos, em 7 de setembro de 1936, Roquette-Pinto decidiu doar a emissora a um órgão oficial - o então Ministério da Educação e Saúde -com a condição de que a rádio permanecesse fiel ao seu lema cultural e educativo. E assim foi feito.

No auge da sua história, a Rádio MEC chegou a manter três orquestras: Sinfônica, de Câmara e Afro-brasileira, além de um trio de violino, violoncelo e piano, de um quarteto de cordas, um coral, um conjunto de música antiga e um quadro de solistas e regentes formados por nomes como Francisco Mignone, Eleazar de Carvalho, Alceo Bocchino, Edino Krieger, Marlos Nobre, Guerra-Peixe, Noel Devos, Iberê Gomes Grosso, Abigail Gomes Moura e Altamiro Carrilho, entre outros

Rádio MEC hoje

A MEC AM - 800 kHz difunde a Música Popular Brasileira, com destaque para o samba e o choro, e apresenta programas variados que contemplam também a música regional, a bossa-nova, o jazz e a música instrumental.

A emissora promove a transmissão ao vivo de programas de Música Popular Brasileira, realizados tanto em seus estúdios quanto em eventos externos, nos teatros ou em casas de espetáculos da cidade. Incentiva igualmente a produção de outros gêneros de programas radiofônicos como a poesia, o radioteatro e o radioarte. Fazem parte da programação horários dedicados à educação e à formação da cidadania.

a MEC 98,9 FM é a única do estado a transmitir música de concerto em 90% de sua programação, com janelas de jazz, choro e música instrumental. Bach, Mozart, Villa-Lobos, Debussy, Verdi, Beethoven, Ernesto Nazareth, Chopin, Vivaldi, Radamés Gnatalli e vários outros grandes compositores são a alma do repertório da emissora.

Sua programação diária inclui agendas culturais relativas aos eventos musicais e de artes em geral que ocorrem na cidade e também fora do Rio de Janeiro. Constam da grade de programação alguns programas históricos, como o "Ópera Completa" , há 50 anos no ar, o "Concerto MEC" e o "Momento de Jazz". Sua programação musical conta, também, com importantes parcerias com as Rádios Nederland, Deutsche Welle e Rádio Cultura SP.

Na MEC FM alguns programas são realizados ao vivo e com a presença do público. É o caso do "Sala de Concerto", um recital realizado toda sexta-feira, transmitido diretamente do estúdio sinfônico da emissora, e do “Sala de Música Ao Vivo” que durante este ano apresenta concertos ao vivo, às terças-feiras , às 18 horas, na sede da emissora.


Confira os destaques da programação desta semana:


Ao Vivo Entre Amigos- 17h05
MEC AM – 800 Khz

Clarisse Grova e Leandro Braga


O Ao Vivo Entre Amigos desta semana promove o encontro da cantora e compositora Clarice Grova e compositor, pianista e arranjador Leandro Braga. Ela com sua voz poderosa e afinada, ele um dos pianistas mais requisitados da MPB. Juntos eles montaram o espetáculo Moda de Sangue, com o qual têm percorrido o Brasil .

O Ao Vivo entre Amigos é transmitido todas as quartas diretamente do Auditório Paulo Tapajós da Rádio MEC, com a presença do público. A entrada é franca e as senhas são distribuídas a partir das 16h.

Rádio MEC AM
Praça da República nº 141-A – Centro.

Produção e apresentação Marina Barreto.
Quinta, 2h; domingo, 12h.

O Choro é o destaque do Bossamoderna nesta quinta-feira, 20, às 23h, pela MEC FM. Chamado por alguns de jazz brasileiro, embora esteja mais associado às influências do barroco europeu, combinado à africanidade, o Choro segue, cada vez mais, novos caminhos estéticos. Desde a bossa de Os Cariocas (Chorinho Carioca, Choro de Bossa), Jongo Trio (Chorinho do Cido) e Carlos Lyra (Choro de Breque) a uma antecipadora fusão promovida, ainda em 1953, pelo violonista Laurindo de Almeida e o saxofonista americano Bud Shank, em torno de Carinhoso, de Pixinguinha. O noviço grupo 4 X Zero também fez uma revolucionária releitura de Tico Tico no Fubá, de (Zequinha de Abreu, assim como o guitarrista Dino Rangel revisitou o Choro de Tom Jobim e Nara Leão o Chorinho, de Chico Buarque.

Produção e apresentação Tárik de Souza.
MEC AM: terça, 22h.


Nossa Música – sábado 19h
MEC AM – 800KHz
Jacob do Bandolim

Esta semana o Nossa Música homenageia Jacob do Bandolim, relembrando os 40 anos da morte do músico. O artista nasceu em 1918 e foi criado na Lapa, Centro do Rio de Janeiro. Instrumentista de extraordinária sensibilidade, Jacob tinha um estilo singular de tocar bandolim. Foi um autodidata na música e só aos 32 anos de idade começou a tocar lendo a pauta musical. Sua casa em Jacarepaguá era uma referência musical no Rio de Janeiro, onde ele recebia personalidades, como Pixinguinha, Turíbio Santos, Paulinho da Viola, Maria Lucia Godoy, Clementina, Elizeth, entre outros.

Na seleção musical do programa estão as músicas: Noites Cariocas, Simplicidade, Flor de Abacate, Assanhado, Reminiscência, Doce de Côco, Agüenta Seu Fulgên]cio, Migalhas de Amor, Saracoteando, Sai do Caminho, Cabuloso, Diabinho Maluco, Treme Treme, Naquela Mesa, Alvorada Migalhas.

Produção e apresentação Aglaia Peltier.
Domingo, 23h.

Como sintonizar:
Rádio MEC AM Rio de Janeiro – AM 800 kHz
Radio MEC AM Brasília – AM 800 KHz
Rádio MEC FM Rio de Janeiro – FM 98,9 MHz
Rádio Nacional Rio de Janeiro – AM 1.130 kHz
Rádio Nacional AM Brasília – AM 980 kHz
Rádio Nacional FM Brasília – FM 96,1 MHz
Rádio Nacional AM Brasília – AM 980 kHz
Rádio Nacional da Amazônia – OC 11.780 kHz e 6.180 kHz
Rádio Nacional do Alto Solimões – AM 670KHz

Confira a programação completa no site da Rádio MEC, onde também é possível ouvir ao vivo os programas da Rádio.

quarta-feira, 12 de agosto de 2009

Verônica Ferriani volta aos palcos cariocas

Depois do lançamento de seu CD em junho, a cantora paulista Verônica Ferriani volta aos palcos cariocas para uma temporada no Centro Cultural Carioca. A série de shows estreia amanhã, e acontece todas as quintas do mês de agosto, sempre com convidados para lá de especiais.

No primeiro show, Verônica recebe Alfredo Del Penho e Marcos Sacramento para abrilhantar ainda mais essa festa. Além de seus convidados, a cantora estará acompanhada por Rogério Caetano (violão 7), João Callado (cavaco), Rodrigo Jesus e Paulino Dias (percussão).

O álbum de Verônica foi produzido por BiD, com a parceria da própria cantora, e tem, em suas 10 faixas, um repertório digno do talento de quem os interpreta. O disco reúne grandes nomes, como Gonzaguinha, em “Um sorriso nos lábios”, música que abre o CD, passando por “Com mais de trinta”, dos irmãos Marcos Valle e Paulo Sérgio Valle, e a romântica “Eu amo você”, de Cassiano e Silvio Rochael. Na faixa “Bem feito” (Rubens Nogueira / Paulo César Pinheiro), o timbre de Verônica envolve-nos de tal maneira, que a linda melodia da música fica. Ouvir apenas uma vez? Impossível. Ainda tem a divertida “Fez bobagem”, de Assis Valente, que traz o lado “samba” da cantora, e o batuque marcante da percussão não deixa ninguém parado.

Para quem quiser conferir de perto essa festa, os shows serão às 21h30, e o Centro Cultural Carioca fica na Rua do Teatro, 37 – Centro. Mais informações pelos telefones (21) 2252-6468 e 2242-9642.


VERÔNICA FERRIANI E CONVIDADOS
Dias: 13, 20 e 27 de agosto (quintas)
Local: Centro Cultural Carioca (CCC)
Horário: 21:30
Couvert: R$ 20,00
Endereço: Rua do Teatro, 37 - Centro - Rio de Janeiro
Informações e reservas: (21) 2252-6468 e 2242-9642

Participações especiais:
Dia 13: Alfredo Del Penho e Marcos Sacramento
Dia 20: Áurea Martins e Moyséis Marques
Dia 27: Ana Costa e Pedro Miranda

Saiba mais:
www.myspce.com/veronicaferriani

domingo, 9 de agosto de 2009

A cultura da Liberdade

Cenário de importantes momentos públicos e inúmeras historias de cidadãos mineiros, a Praça da Liberdade, localizada no centro de Belo Horizonte, receberá um dos maiores complexos culturais do pais. O circuito inclui todo o conjunto arquitetônico da região (ruas Tomé de Souza, Guajajaras, Bahia e Sergipe), além de prédios públicos da Avenida João Pinheiro. Para apresentar detalhes do projeto, já em sua reta final, o Governo de Minas Gerais inaugurou a Exposição “Praça da Liberdade: Circuito Cultural – Arte e Conhecimento”, localizada na Alameda Travessia, com entrada gratuita, aberta até o dia 09 de setembro, das 09 às 17h.

Durante os 70 metros do percursso, com o acompanhamento de monitores, o público conhecerá por meio de projeções de imagens em 3D a proposta de cada um dos espaços culturais, que ocuparão os prédios onde hoje funcionam orgãos públicos. Já estes, serão transferidos para o novo Centro Administrativo do Governo de Minas. Em parceria com o a iniciativa privada, serão inaugurados o “Espaço do Conhecimento”, patrocinado pela TIM e Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG); “Museu das Minas e do Metal”, pela EBX Investimentos, o “Memorial de Minas Gerais”, pela Vale, o “Centro de Arte Popular”, pela Cemig, e o “Centro Cultural Banco do Brasil”. Ainda fazem parte o Palácio da Liberdade, o Arquivo Público Mineiro, o Museu Mineiro e a Biblioteca Pública Estadual Luiz de Bessa.

Além disso, a exposição traz fotos, vídeos e textos que contam a história da Praça da Liberdade, palco de grandes momentos políticos e culturais do estado. Também integram a instalação exemplos de projetos que seguem a mesma proposta – de transformar prédios tombados em espaços que reúnem arte, tecnologia, ciência, história e conhecimento – como o Museu do Louvre, Museu Reina Sofia, a Tate Modern e a Pinacoteca de São Paulo. Vale destacar que o projeto museográfico do designer e curador de exposições Marcello Dantas, assim como o projeto arquitetônico de Jô Vasconcellos, respeitam todos os padrões e normas de tombamento.


Praça da Liberdade: Circuito Cultural – Arte e Conhecimento
Local: Alameda Travessia, Praça da Liberdade, Belo Horizonte (MG)
Quando: Até 09 de setembro
Quanto: Entrada franca
Horário de funcionamento: Diariamente, das 9 às 17 horas

Leia também o artigo do Secretário de Cultura de Minas Gerais, Paulo Brant.

sexta-feira, 7 de agosto de 2009

Votação chegando ao fim

Galera,

Termina nesta terça-feira, 11, a votação popular do Prêmio Top Blog.
Para quem ainda não votou, é só clicar no selo que está aqui no lado direito!
Para quem já votou, muito obrigada e continuem divulgando!

Beijos a todos,

Carol

sábado, 18 de julho de 2009

A intrepidez de cada dia


Boa noite, meus amigos, minhas amigas. Preparem seus corações. Nesses 23 anos de história, a Intrépida Trupe manteve uma relação intensa com seu público, e as acrobacias só faziam parte do picadeiro. Mas hoje, ah, meus amigos... Hoje, a intrepidez vai fazer parte da sua vida!

Nessa noite intrépida, concentrada em 1h20 de espetáculo, nos é permitido sonhar. Sonhar alto, na altura de cada acrobacia, enquanto esperamos o que há de vir, enquanto esquecemos da cama de gato que é nossa vida. A cada artista que entra no picadeiro, somos transportados para um mundo de sonhos e fantasias. Naqueles momentos, ser criança novamente é uma preciosidade.

E aqueles acrobatas são anjos. Anjos que voam com a leveza dos pássaros. Voam como crianças, que acreditam que tudo podem. E, depois de virar noites ensaiando, mantendo a energia e a sincronicidade, mas sem perder a descontração, eles podem. Sim, eles podem o que quiserem. O picadeiro pertence aos anjos acrobatas. E, por fazerem com amor, nos permitem participar dessa magia, sentir que a vida pode ser um pouco mais leve e divertida, se assim o quisermos. E diversão é o pré-requisito para pisar naquele picadeiro.


Nesse clima, somos convidados a nos aposentarmos dessa vida e abrirmos nossa empresa de sonhos. Nessa empresa, a intrepidez não tem idade, ela está dentro de cada um de nós. É preciso apenas permitir que ela venha à tona, e viva solta em nossos corações.

Vanda Jacques é quem comanda essa “Noite Intrépida”, que relembra momentos dos espetáculos que marcaram a trajetória da Intrépida Trupe, além de números inéditos. E a preparação dos anjos acrobatas fica por conta de Caio Guimarães. O espetáculo também conta com convidados para lá de especiais, que ajudam a dar o tom humor, misturado à música, dança e teatro, passeando do bolero ao ballet, tudo isso sem perder a magia do circo.


Uma dessas convidadas é Fernanda Monteiro, artista que já fez parte do Cirque du Soleil. Encontro Fernanda minutos antes de o espetáculo começar, e ela me recebe com um sorriso simpático no rosto. Pergunto se ela não tem medo de cair, quando está fazendo a acrobacia, pois instantes antes de conversarmos, ela estava em seu bambolê, treinando sua apresentação. “As pessoas que estão aqui na platéia têm mais medo do que quem está lá em cima”, ela me diz. Nada mais coerente. Os anjos acrobatas têm seus protetores, que permitem que eles continuem a nos fascinar.

E que o anjo da guarda destes que habitam o picadeiro possam, em doce companhia, proteger esses artistas de tarde, de noite e de dia. Para que, assim, eles continuem nos permitindo ser crianças mais uma vez.

Fotos: Mauro Kury

‘Noites Intrépidas’
De 18 de julho aa 30 de agosto
Local: Espaço de Criação Intrépida Trupe – Fundição Progresso
Endereço: Rua dos Arcos, 24 – Lapa
Tel: 2220-5070 / 1977
Horário: sexta, sábado e domingo às 20h
Preço: R$ 30,00
Patrocínio exclusivo: Petrobras

Lembrando que este blog está concorrendo ao Prêmio Top Blog na categoria Cultura. Para votar, basta clicar no selo que aparece aqui do lado direito. Divulguem!!! A votação vai até o dia 11/8!

quarta-feira, 15 de julho de 2009

"Marianna Leporace Convida" especial


Foi para realizar um antigo sonho de juntar sua formação jornalística e musical, que Marianna Leporace criou o projeto “Marianna Leporace Convida”. Desde outubro do ano passado, a cantora e jornalista leva para o palco um talk show, em que, além de cantar, realiza uma entrevista com um convidado especial, geralmente um compositor, mostrando ao público sua história musical e seu processo criativo. Tudo isso em uma atmosfera bem informal, como em um bate-papo com amigos.

Desde o início do projeto, grandes nomes já foram entrevistados por Marianna. E hoje, 15 de julho, é aniversário da cantora. Como não podia deixar de ser, a comemoração será em grande estilo, pois o projeto também está em festa, completando oito meses de vida. Nessa edição especial, Marianna vai cantar músicas de seus primeiros convidados. E, algumas presenças já estão confirmadas, como Alexandre Lemos, Cacala Carvalho, Célia Vaz, Claudio Lins, Edu Krieger, Felipe Radicetti, Fernando Leporace, Paulo Malaguti, Rodrigo Lessa e Tony Pelosi. Segundo a cantora, algumas surpresas ainda podem acontecer!

Para quem quiser comemorar junto com Marianna Leporace, a “festa-show” acontece hoje, dia 15 de julho, às 20h no Espaço Rio Carioca (anexo às Casas Casadas), em Laranjeiras. Vida longa à Marianna Leporace e ao projeto!

“Marianna Leporace Convida” especial:
Dia 15/7
Às 20h
Espaço Rio Carioca – Rua das Laranjeiras, 307 (entrada pela Rua Leite Leal)
R$ 15,00

Lembrando que este blog está concorrendo ao Prêmio Top Blog na categoria Cultura. Para votar, basta clicar no selo que aparece aqui do lado direito. Divulguem!!! A votação vai até o dia 11/8!

terça-feira, 14 de julho de 2009

Incentivar é preciso. E possível.

No momento em que tanto se fala em falta de incentivo à cultura, o Governo de Minas Gerais dá o exemplo. No último dia 8 de julho ocorreu a entrega do Prêmio Governo de Minas Gerais de Literatura, na Academia Mineira de Letras. O Prêmio foi dividido em quatro categorias: Ficção, Poesia, Jovem Escritor Mineiro e Conjunto da Obra.


Luis Fernando Veríssimo levou o prêmio pelo conjunto de sua obra. Jornalista e escritor gaúcho, é filho do grande escritor Érico Veríssimo. É também cartunista e tradutor, além de roteirista de televisão, autor de teatro e músico, tendo tocado saxofone em alguns conjuntos. Com mais de 60 livros publicados, Veríssimo é reconhecido por seu olhar humorado e sagaz voltado ao cotidiano e às relações humanas. Em entrevista publicada no blog do Governo de Minas, o escritor ressaltou a importância da premiação, declarando que temos ótimos escritores e gente jovem aparecendo, mas por causa das restrições do mercado editorial brasileiro, a publicação fica difícil.

Com 24 anos, a estudante de Letras na UFMG, Maria Zilda Santos Freitas, teve seu romance ainda não publicado, “Insetos”, contemplado na categoria Jovem Escritor Mineiro. Na narrativa, a universitária apresenta a história de uma menina órfã, que ao se perder na cidade grande, torna-se uma observadora da metrópole. Assim como em “A Metamorfose”, de Franz Kafka, o inseto passa a ser um signo do absurdo, quando todos os personagens são metaforizados como insetos.

Na categoria Ficção, o filósofo mineiro Reni Andrade, recebeu por seu romance “Lugar” o prêmio disputado por outros 160 inscritos. Já na categoria Poesia, a mais concorrida, com 674 trabalhos, quem venceu foi o cearense Eduardo Jorge de Oliveira, pelo título “A língua do homem sem braço”.

Esse é o segundo ano do Prêmio de Literatura e outros três prêmios foram criados para incentivar o cinema, a música e as artes cênicas. Neste ano, serão distribuídos mais de R$ 7 milhões em incentivos, somando o Prêmio de Literatura, Filme em Minas, Música Minas e Cena Minas. Ainda na linha da incentivo à cultura, desde 2003, 3.495 projetos, em 156 municípios, foram atendidos pela Lei Estadual de Incentivo à Cultura.

Para mais informações sobre as iniciativas de fomento e incentivo à cultura no estado de Minas Gerais, acesse: http://www.cultura.mg.gov.br/.

Lembrando que este blog está concorrendo ao Prêmio Top Blog na categoria Cultura. Para votar, basta clicar no selo que aparece aqui do lado direito. Divulguem!!! A votação vai até o dia 11/8!

quinta-feira, 25 de junho de 2009

A Bossa ainda é Nova

Quando os primeiros acordes do piano soaram no silêncio do teatro, fomos transportados para uma outra época. Voltamos no tempo, ou, visitamos um tempo que só conhecíamos pela música. Mas, naquele momento, ele estava ali, inteiro e intenso, na alma dos atores.

Rio de Janeiro, década de 50. Praia, pôr-do-sol, música. Mas,não uma música qualquer. Uns dizem que é imitação do jazz, outros brigam para definir quem foi o inventor. Mas, ali, naquelas duas horas de espetáculo, os temas que interessavam eram o amor, o sorriso e a flor. Estamos na era da Bossa Nova.

“Tom e Vinicius – O musical” tem início no ano de 1956, com a realização da produção teatral “Orfeu da Conceição” - peça de Vinicius, com músicas de Tom Jobim - marco inicial da parceria, e segue contando a história do surgimento da Bossa Nova e toda repercussão causada por ela no Brasil e no mundo. Na peça, Marcelo Serrado dá vida a Tom Jobim, e Thelmo Fernandes é Vinicius de Moraes. Com direção de Daniel Herz e direção musical de Josimar Carneiro, a peça é mais do que uma obra biográfica, pois centra sua narrativa no espírito que envolvia todo um período da história do Brasil, no qual a Bossa Nova se estabeleceu como conceito estético e até mesmo padrão comportamental. Dessa maneira, o público se sente transportado para essa época, conhecendo e sentindo como grandes clássicos, como “Chega de Saudade” e “A felicidade” ganharam vida, na parceria entre o poeta e o maestro.

Além de Marcelo e Thelmo, mais 14 atores integram a cena, e dão vida a figuras importantes da música brasileira, como Elizeth Cardoso e Dolores Duran. Todos eles, com uma qualidade visível, ajudaram a abrilhantar ainda mais o espetáculo. E, entre esses atores está Guilhermina Guinle, que interpretou duas das esposas de Vinicius de Moraes.

“A nossa casa, querido
Já estava acostumada
Aguardando você
As flores na janela
Sorriam, cantavam
Por causa de você...”

Mas, quem roubou a cena com uma interpretação impecável foi a atriz Marilice Cosenza, que deu vida – e muita emoção – a uma de nossas grandes representantes do samba-canção, Dolores Duran. Marilice cantou “Por causa de você”, parceria de Dolores e Jobim, e arrancou do público, aplausos calorosos. Todos nos sentimos em março de 1957, quando Tom mostrou a Dolores a melodia que havia feito, e, em pouco tempo, ela apresentou-lhe a letra, que se tornou um grande clássico de nossa música.


“Rua Nascimento Silva, cento e sete
Você ensinando prá Elizete
as canções de canção do amor demais
Lembra que tempo feliz, ai que saudade,
Ipanema era só felicidade
Era como se o amor doesse em paz...”

Muitos são os momentos marcantes e muitas são as músicas para lembrar. “Garota de Ipanema”, “Eu sei que vou te amar” e “Carta ao Tom” são apenas algumas das grandes canções que passaram pela peça e estão eternizadas na música brasileira. A parceria de Tom e Vinicius rendeu muitas histórias para contar e muitas canções para serem eternamente entoadas na batida sincopada do violão da Bossa Nova.

Tom e Vinicius - O musical: ÚLTIMA SEMANA!!!
Até dia 28/06 - Sexta e sábado 20h, e domingo 18h
Teatro Carolos Gomes - Praça Tiradentes, 19 - Centro, RJ
Mais informações: 2232-8701

Lembrando que este blog está concorrendo ao Prêmio Top Blog na categoria Cultura. Para votar, basta clicar no selo que aparece aqui do lado direito. Divulguem!!!

sexta-feira, 12 de junho de 2009

Movimentando o fim de semana

Sem programação para o dia dos namorados? Algumas opções de programas para esse fim de semana chuvoso:

"Apenas o fim" chega às salas de cinema nessa sexta
Nada mais adequado do que um comédia romântica estreando no dia dos namorados. "Apenas o fim" conta a história do casal Adriana (Érica Mader) e Antonio (Gregório Duviver). A estudante cansa de sua vida e decide, simplesmente, ir embora. Mas, antes, ela deve terminar o namoro com Antonio, e os dois têm uma hora para conversar e fazer um balanço de suas vidas.

O filme é do diretor e roteirista estrante Matheus Souza, de 21 anos, estudante de Cinema da PUC-Rio. Antes de chegar às telonas, "Apenas o fim" ganhou prêmios, como de melhor filme pelo Juri Popular no Festival do Rio e na Mostra Internacional de São Paulo, além de ter participado do Festival de Rotterdan e Miami.

Felipe Radicetti faz show no Rio com participações especiais


O cantor Felipe Radicetti faz show no Centro Municipal de Referência da Música Carioca, na Tijuca, lançando seu novo CD, SagradoProfano. O show terá participação de Marianna Leporace, João Cantiber e Itamar Assiere.

O CD SagradoProfano é um ciclo de canções que, através das letras e da estrutura musical, procura refletir as tradições e a fé religiosa afro-brasileira. Assim como em trabalhos anteriores, os instrumentos acústicos estão integrados a elementos de música eletrônica. Radicetti incorpora, neste trabalho, o sagrado e o cotidiano na cultura afro-brasileira.

O show será às 19h, e o CMRMC fica na Rua Conde de Bonfim, 824 - Tijuca. Mais informações pelo telefone 3238-3831.

Lembrando que este blog está concorrendo ao Prêmio Top Blog na categoria Cultura. Para votar, basta clicar no selo que aparece aqui do lado direito. Divulguem!!!

quarta-feira, 10 de junho de 2009

Carnaval é todo dia!

Foto: George Maragaia
Para quem está à procura de diversão e boa música nesta véspera de feriado, a dica é o show da Orquestra Imperial que acontece hoje no Canecão. Esse será o oitavo “Baile dos Namorados” promovido pela Orquestra, com a presença do DJ Malboro e convidados especiais.

A banda surgiu em 2002, realizando um antigo desejo de um grupo de amigos de formar uma típica orquestra de gafieira. O repertório é variado, com clássicos dos anos 60 a sucessos da cultura do salão, mas tudo com arranjos novos. Formado por artistas da nova safra da música brasileira, “a mistura de gerações dá um toque especial ao som da banda”, como disse Thalma de Freitas, uma das integrantes.

Em 2007, a banda lançou seu primeiro CD “Carnaval só ano que vem”, com músicas inéditas de integrantes do grupo, e logo caiu nas graças do público, conquistando fãs por onde passam. Além de fazer shows no Rio de Janeiro, São Paulo e Salvador, a banda já lançou o CD na Europa, e volta lá em julho, para shows na Inglaterra, Itália, Portugal e Holanda.

Interessou-se? Então, vá ao Canecão! Fica o convite de Thalma: “convido a todos pra dançar, cantar e flertar ao som da Orquestra Imperial!”


Orquestra Imperial - Baile dos Namorados
Data:
10 de junho (quarta-feira)
Local: Canecão (Av. Venceslau Brás, 215 - Botafogo - tel: 2105 2000)
Horário: 22h
Preços: R$ 120,00 (Frisa Central), R$ 110,00 (Balcão Nobre), R$ 100,00 (Mezanino), R$ 80,00 (Poltronas Numeradas) e R$ 60,00 (Pista). Meia entrada para estudantes e maiores de 60 anos.
Classificação etária: 15 anos (menores de 15 anos somente com responsável)
Ingressos à venda na bilheteria e pelo site
Funcionamento da bilheteria: de 12h às 21h20m
Pagamento em dinheiro ou cartão de débito


Lembrando que este blog está concorrendo ao Prêmio Top Blog na categoria Cultura. Para votar, basta clicar no selo que aparece aqui do lado direito. Divulguem!!!

segunda-feira, 8 de junho de 2009

De portas abertas para a cultura


Você já pensou em assistir a um show na hora do almoço? E trocar o bate-papo no restaurante por uma roda de debates? Desde 1995, o Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro (TCE) oferece essas e outras opções para as pessoas que trabalham no centro, ou para quem esteja passando por lá.

O TCE foi o primeiro órgão público da cidade a ceder seu espaço para iniciativas culturais, e todos os eventos são gratuitos. O objetivo inicial do projeto Momento Cultural era dar maior utilidade ao auditório Olympio de Mello, com capacidade para 400 lugares. E o horário do almoço foi escolhido para não prejudicar as atividades profissionais dos servidores.

Logo que começou, o projeto só contava com shows. Hoje, além de acontecerem outras atividades no espaço, ele foi deslocado para o prédio anexo à sede do TCE. “O projeto inclui música e a sala de exposições, onde nós fazemos a roda de conversa, com temas e debatedores, numa proposta informal, onde há uma interação entre público e convidado”, diz Mônica Chateubriand, responsável pela programação do projeto.

O projeto já levou aos TCE artistas como Olivia Byngton, Leni Andrade e Mauro Senise. Além de artistas consagrados, o espaço também recebe aqueles que estão começando. Como é o caso de Manu Santos, cantora e integrante do Seresta Moderna, que se apresentou no espaço do TCE em abril. O grupo conta a história da Música Popular Brasileira através de seus grandes clássicos. E espaços como esse do TCE são importantes pólos de divulgação para os artistas que estão tentando se firmar no meio musical. “Hoje, quanto mais espaços aparecerem com grande estrutura, assim como o TCE, para ajudar a cultura, é perfeito. Porque nós artistas precisamos desse meio de divulgação, de mais espaço, e hoje em dia está muito difícil”, disse Manu.

Além do projeto Momento Cultural, o TCE tem um coral formado por seus funcionários, que já faz show fora do espaço do tribunal. Eles têm recebido resposta positiva do público, por terem um repertório variado, que vai de samba à música clássica. E, no site do tribunal, é possível conferir a programação do projeto, além das músicas cantadas pelo coral.