sábado, 15 de novembro de 2008

Navegando pelo mar das novidades

Investir em literatura em um país onde quase metade da população não lê, é um desafio. E, se o autor for iniciante, a dificuldade só aumenta. A falta de incentivo das grandes editoras e o alto preço dos livros são dois dos motivos que atraem cada vez mais os escritores para a Internet. Mas o desejo de publicar um livro não abandona esses novos artistas, que sonham com seu lugar em meio aos grandes nomes da literatura brasileira.

Em apenas alguns minutos navegando pela Internet, é possível descobrir uma gama de jovens escritores, que usam o blog como principal ferramenta de divulgação dos seus trabalhos. “Ela [Internet] veio para ser um facilitador e, com relação à divulgação de trabalhos, é uma vitrine de grande valor”, diz Caroline Freitas, uma nova escritora que ainda não aderiu à moda dos blogs, mas que diz já ter conhecido muitas novidades através da web.

Mas, é preciso ter cuidado: nem só de boas novidades é feita a Internet. É preciso ficar atento, principalmente, à autoria dos textos, pois não são raros os casos de erros – sejam propositais ou não. Com uma busca um pouco mais minuciosa pela web, é possível descobrir muitos textos de pessoas anônimas que são atribuídos a autores famosos. E os motivos são variados: falta de informação de quem disponibiliza o texto, desejo do autor de ver seu texto sendo acessado por muitos leitores, ou, até mesmo, o objetivo de enganar as pessoas. Segundo analisa João Gustavo Lima, estudante de Jornalismo, a Internet é mais um veículo de comunicação do que um produtor de conteúdo. Assim como ele, outros jovens escritores usam a Internet para receber opiniões acerca de seus textos, mas não pensam em abrir mão do sonho de publicar um livro à moda antiga.

Essa grande adesão à Internet traz à tona uma outra discussão: será que algum dia ela substituirá o livro impresso? Apesar de esses novos autores afirmarem o desejo de um dia publicar seus livros de forma tradicional, a força que a Internet vem ganhando não pode ser descartada. É cada vez maior o número dos chamados e-books que são disponibilizados para download. Apesar desse crescimento, Robson Ribeiro, poeta e estudante de Letras, afirma que acredita numa “convivência harmoniosa entre a literatura na Internet e a forma tradicional dos livros”.

O espaço que a Internet vem ocupando no mercado editorial acaba, de uma certa maneira, prejudicando a venda de livros, que faz com que os preços subam, e isso diminua ainda mais o número de compradores. É um ciclo vicioso que poderia ser resolvido com incentivo a novas publicações, conquistando a atenção de novos leitores. E João Gustavo propõe uma solução: investimento no público jovem. “É para esse público que as editoras devem voltar seus investimentos em novidades editoriais, até mesmo pra conquistar novas gerações”, diz.

Mas parece que a tendência das editoras não é arriscar. Em recente matéria publicada pela revista “Retrato do Brasil”, um estudo editado pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO), em parceria com outras instituições, como a Câmara Brasileira do Livro (CBL), mostra que as grandes editoras dão preferência ao que já deu certo em países adiantados. Nestes tempos de globalização, elas preferem lidar com livros já testados nos grandes mercados internacionais e são menos interessadas em lançamentos surpreendentes.

Apesar de todos os desafios que terão de enfrentar, esses novos talentos ainda vêem uma esperança. E, frente a todas as dificuldades, a paixão pela literatura fala mais alto, dando incentivo para eles seguirem em frente. Como afirma Robson, “escrever é uma necessidade”.


Próximo post: Uma luz no fim do túnel - soluções alternativas para novos escritores.

6 comentários:

Cely disse...

Parabéns filha!
Ficou lindo e criativo!
Te amo!
Bjos

Robson Ribeiro disse...

Olá!

Muito bom realmente.
Parabéns pela abordagem de um tema tão importante.

Aguardo a continuação...

Beijos!

Rosemere Leonel Ribeiro disse...

Adorei!! Parabéns!
Bjs

Binha Sam disse...

Ótimo texto Carol! Infelizmente, não há estímulo para leitura e livro é um objeto muito caro para quem ganha tão pouco. Realmente, é preciso investir em jovens, principalmente crianças, nessa tão mágica viagem pelos livros.
Continue a escrever artigos assim em seu blog e que quem o ler, pare pra pensar.
Bjoks!

Danny disse...

Oi, Carol!
Ficou ótima a matéria! Eu também acredito que nada vá realmente substituir o livro. Nada se compara...
Ahhh, pode me fazer um favorzinho? Atualiza meu MySpace para www.myspace.com/dannyreismpb!
Beijos!!!

Paula Baiadori disse...

Olá,
O agBook, da AlphaGraphics, publica livros sob demanda de forma fácil e totalmente gratuita. Para publicar, basta acessar www.agbook.com.br e efetuar seu cadastro.
O principal objetivo do agbook é apoiar novos escritores brasileiros e ainda oferecer todas as técnicas para que o autor não somente publique o seu livro como também o promova de maneira eficiente.
Coloco meus contatos à disposição para qualquer dúvida pbaiadori@alphagraphics.com.br
Abraços.