quarta-feira, 12 de dezembro de 2007

Uma tempestade de emoção

Intensa do início ao fim, Gota d'água é uma peça para não perder um momento sequer. O musical de Chico Buarque e Paulo Pontes, em sua segunda montagem - a 1ª foi em 1978, com Bibi Ferreira no papel principal -, tem a brilhante direção de João Fonseca. A peça traz o clássico grego Medéia para a realidade da favela carioca. Nessa adaptação, Jasão é um sambista, que largou Joana (nome de Medéia na montagem) para casar com Alma, filha de Creontes, grande empresário e proprietário das casas onde moram Joana e Jasão, e seus amigos. E, assim, como no clássico grego, Joana , tomada de ciúme e ódio por ter sido largada, arma a sua vingança contra Jasão, atingindo-o no seu ponto mais fraco, o amor pelos filhos.

A peça é de uma qualidade técnica e cênica únicas. Ela emociona, diverte, inquieta, mas tudo na medida certa para ser um grande espetáculo. E, cada ator, cada elemento, cada música, dá a sua contribuição para transformar Gota d'água em um momento inesquecível para cada pessoa que assiste.

E Izabella Bicalho merece destaque para sua atuação como Joana. Dotada de uma expressão no olhar que dá o tom certo para a fúria de sua personagem, ela encantou o público e arrancou aplausos fervorosos a cada aparição em cena. E, quando soltava a voz, a emoção era ainda maior, passando, também através da música, as angústias de uma mulher abandonada e com sede de vingança. Ela transformou cada simples cena em um grande espetáculo. Uma atuação digna de uma grande estrela.

Como um bom musical, a trilha se encaixa perfeitamente em cada momento em que é usada, contando, através da música, algum fato em questão. Além das lindas letras de Chico Buarque, Pedro Lima, o preparador vocal do elenco, fez um brilhante trabalho. Cada aparição dos atores cantando, era uma total comoção, tornando o público ainda mais envolvido. E, para completar o espetáculo, a expressão corporal dos atores impressionou. Desde o olhar extremamente significativo até o movimento dos corpos durante as partes musicais, Édio Nunes cuidou de cada detalhe da movimentação deles. E seu trabalho foi enobrecido pelo enorme talento de todo o elenco, que soube dar vida a seus personagens da forma mais convincente possível.

Outro elemento que não pode deixar de ser destacado é a iluminação, que delimita perfeitamente o plano de ação. Durante quase todo o tempo da peça, todo o elenco fica no palco, e é a iluminação que mostra o que está em evidência no momento, enquanto as outras ações "congelam". Ótima atuação do iluminador Luiz Paulo Nenen, que soube integrar muito bem a luz no contexto do espetáculo, sendo ela também uma personagem que merece atenção. Nenhum foco de luz estava lá em vão, eles foram muito bem utilizados para dar o clima necessário para cada cena.

Apesar de escrita em 1975 e, por isso, retratar a realidade da favela na década de 70, a peça é muito atual, e pode ser usada como exemplo da realidade de muitos cariocas. Quantas pessoas não trabalham duro todos os dias para terem onde morar e o que comer e são vítimas de empresários como Creonte, que só pensam no lucro e em tirar proveito da dificuldade alheia. Por isso, nada mais relevante do que encenar Gota d'água novamente agora. É uma prova que apesar de passados mais de 30 anos, o Brasil continua com os mesmos problemas sem solução. Com o mesmo descaso das autoridades frente a necessidade de sua população. Com o mesmo povo sofrido que luta por um futuro melhor.

Uma peça imperdível pela inteligente incorporação de um clássico grego a realidade carioca, juntando drama, comédia e música num só espetáculo. Assim, a gota d'água transforma-se num temporal de emoção, que inunda o coração de quem assiste a este lindo espetáculo.
Gota d'água
Quinta a sábado às 20h e Domingo às 19h
Até 16/12
R$ 25
Teatro Glória: Rua do Russel, 632 - Glória

5 comentários:

sylvinha disse...

eixano vetigio e que paei.. ma num tenho etra quae. enteneu??
É ó vc que entene memo... BBBBBBBB
=P

333

Danny Reis disse...

Oi, Carol!
Pois é, estamos mesmo em vários lugares! Onipresença na rede é isso aí! hehehehe!
Menina, eu já conhecia seu blog, mas não sabia que era seu!!! Não liguei o nome à pessoa, sabe?
Adorei!!!!!!!!!
Um beijão!

Danny Reis again! disse...

Ahhhh, essa peça vai voltar a entrar em cartaz!!! Obaaaaaa!

Zózimo Trabuco disse...

Quando é que peça vem para Salvador-BA?

Ou vão esperar o governo criar o programa "Teatro Para Todos "? ou "Chico Buarque para todos"?

Clarissa_Quintanilha disse...

Lindo o blog!!
Amei.. Vou sempre entrar para ficar antenada!!

Beijinhuss