quarta-feira, 12 de dezembro de 2007

Uma tempestade de emoção

Intensa do início ao fim, Gota d'água é uma peça para não perder um momento sequer. O musical de Chico Buarque e Paulo Pontes, em sua segunda montagem - a 1ª foi em 1978, com Bibi Ferreira no papel principal -, tem a brilhante direção de João Fonseca. A peça traz o clássico grego Medéia para a realidade da favela carioca. Nessa adaptação, Jasão é um sambista, que largou Joana (nome de Medéia na montagem) para casar com Alma, filha de Creontes, grande empresário e proprietário das casas onde moram Joana e Jasão, e seus amigos. E, assim, como no clássico grego, Joana , tomada de ciúme e ódio por ter sido largada, arma a sua vingança contra Jasão, atingindo-o no seu ponto mais fraco, o amor pelos filhos.

A peça é de uma qualidade técnica e cênica únicas. Ela emociona, diverte, inquieta, mas tudo na medida certa para ser um grande espetáculo. E, cada ator, cada elemento, cada música, dá a sua contribuição para transformar Gota d'água em um momento inesquecível para cada pessoa que assiste.

E Izabella Bicalho merece destaque para sua atuação como Joana. Dotada de uma expressão no olhar que dá o tom certo para a fúria de sua personagem, ela encantou o público e arrancou aplausos fervorosos a cada aparição em cena. E, quando soltava a voz, a emoção era ainda maior, passando, também através da música, as angústias de uma mulher abandonada e com sede de vingança. Ela transformou cada simples cena em um grande espetáculo. Uma atuação digna de uma grande estrela.

Como um bom musical, a trilha se encaixa perfeitamente em cada momento em que é usada, contando, através da música, algum fato em questão. Além das lindas letras de Chico Buarque, Pedro Lima, o preparador vocal do elenco, fez um brilhante trabalho. Cada aparição dos atores cantando, era uma total comoção, tornando o público ainda mais envolvido. E, para completar o espetáculo, a expressão corporal dos atores impressionou. Desde o olhar extremamente significativo até o movimento dos corpos durante as partes musicais, Édio Nunes cuidou de cada detalhe da movimentação deles. E seu trabalho foi enobrecido pelo enorme talento de todo o elenco, que soube dar vida a seus personagens da forma mais convincente possível.

Outro elemento que não pode deixar de ser destacado é a iluminação, que delimita perfeitamente o plano de ação. Durante quase todo o tempo da peça, todo o elenco fica no palco, e é a iluminação que mostra o que está em evidência no momento, enquanto as outras ações "congelam". Ótima atuação do iluminador Luiz Paulo Nenen, que soube integrar muito bem a luz no contexto do espetáculo, sendo ela também uma personagem que merece atenção. Nenhum foco de luz estava lá em vão, eles foram muito bem utilizados para dar o clima necessário para cada cena.

Apesar de escrita em 1975 e, por isso, retratar a realidade da favela na década de 70, a peça é muito atual, e pode ser usada como exemplo da realidade de muitos cariocas. Quantas pessoas não trabalham duro todos os dias para terem onde morar e o que comer e são vítimas de empresários como Creonte, que só pensam no lucro e em tirar proveito da dificuldade alheia. Por isso, nada mais relevante do que encenar Gota d'água novamente agora. É uma prova que apesar de passados mais de 30 anos, o Brasil continua com os mesmos problemas sem solução. Com o mesmo descaso das autoridades frente a necessidade de sua população. Com o mesmo povo sofrido que luta por um futuro melhor.

Uma peça imperdível pela inteligente incorporação de um clássico grego a realidade carioca, juntando drama, comédia e música num só espetáculo. Assim, a gota d'água transforma-se num temporal de emoção, que inunda o coração de quem assiste a este lindo espetáculo.
Gota d'água
Quinta a sábado às 20h e Domingo às 19h
Até 16/12
R$ 25
Teatro Glória: Rua do Russel, 632 - Glória

sábado, 17 de novembro de 2007

Bar do Zira - Letras & Expressões

Uma opção para quem gosta de boa música e está afim de fugir um pouco de circuito comercial de shows, é freqüentar o Bar do Zira, que fica na Livraria Letras & Expressões de Ipanema.

Um lugar agradável, com boa acústica, é o cenário ideal para curtir uma noite musical, longe da badalação das boates e dos altos preços das casas de shows.

Vale ainda passar no Café Ubaldo, e fazer um lanche antes de se deliciar com a programação do Bar do Zira. E, claro, para deixar tudo com um toque literário, ainda aproveitar as promoções e lançamentos de livros que a Letras & Expressões oferece.

Não poderia ter idéia melhor do que juntar literatura, gastronomia e música num só lugar. É opção ideal para todas as idades.

Rua Visconde de Pirajá 276
Ipanema - Rio de Janeiro - RJ
Cep. 22410 000
Tel: (0xx 21)2521-6110 - Fax: (0xx 21)2521-6324
ipanema@letraseexpressoes.com.br

terça-feira, 16 de outubro de 2007

Circuito Original

Na próxima quinta-feira, 18 de outubro, começa o circuito de shows do "Circuito Original", em que artistas contemporâneos interpretam e homenageiam pessoas e expressões artísticas que continuam nos inspirando até hoje.

Além da música, o evento conta com arte, fotografia, moda e muito mais. Uma ótima oportunidade para conhecer os talentos da nova safra de artistas brasileiros, além de matar as saudades - e, para os mais novos, conhecer - os grandes nomes da nossa cultura. Tudo que é bom deve ser preservado e resgatado.

O evento acontecerá espalhado pela cidade, em bares tanto do centro, quanto da zona sul e outros cantos do Rio. O patrocínio é da Antarctica.
"Resgate dos originais - a cerveja Original preserva só o que é bom de verdade".


Para saber mais informações sobre o Circuito e conferir a agenda de shows, visite o site oficial do evento.

sexta-feira, 28 de setembro de 2007

Tropa de Elite

Abrir o jornal e ler notícias sobre violência, invasões e mortes tornou-se comum para os cariocas. Mas ver esse cotidiano retratado em um filme, é uma forma de não ter como fugir da realidade e encarar o problema de frente. Tropa de Elite, dirigido por José Padilha, cumpre bem o papel de desmascarar essa realidade tão presente na vida dos cidadãos cariocas.



O filme conta a história de Nascimento (Wagner Moura), capitão do BOPE (Batalhão de Operações Especiais) que, ao mesmo tempo que procura por um substituto, tem que comandar uma equipe em uma missão para "apaziguar" o Morro do Turano. Além da pressão constante que vive no seu trabalho, há a pressão de sua mulher Rosane (Maria Ribeiro), que está no final da gravidez e todos os dias o pede para sair da linha de frente do Batalhão. Mas é nessa missão que Nascimento encontra a chance de cumprir a sua vontade e a de sua mulher. Ele conhece Neto (Caio Junqueira) e Matias (André Ramiro), aspirantes a comandantes da PM, honestos e cheios de energia, o perfil ideal para um capitão do BOPE.


Paralela a essa busca pelo substituto de Nascimento e as invasões nos morros da cidade, o filme mostra um dos principais contribuintes, mesmo que indiretamente, do tráfico: os estudantes de classe média. O perfil mostrado no filme é daqueles estudantes com boas condições de vida, que se envolvem com drogas pelo simples fato de "curtirem" a vida, achando que não estão fazendo nenhum mal. E José Padilha foi feliz em abordar esse tema da forma como fez, real e sem sensacionalismos, apenas mostrando a esses jovens o quão irresponsáveis eles estão sendo enquanto estão pensando apenas em "curtir" a vida. Quantas crianças não entram para o tráfico para que esses jovens possam fumar seu baseado. E, enquanto a violência não bate nas portas desses jovens, para eles, tudo está normal.


E também não pode-se esquecer da atuação de todo o elenco, que passou toda a veracidade e emoção necessárias a cada um de seus personagens. Ao assistir o filme, era possível sentir-se assistindo a uma reportagem sobre a invasão de um morro.


Pode ser que esse filme tenha chocado a muitos que o viram. É difícil encarar a realidade, assim, tão de frente. Mas a sociedade carioca estava precisando desse "banho de realidade" para acordar e perceber que a situação que a cidade está vivendo é muito mais grave do que imagina e se mostra. Pois se não bastasse a violência nos morros, há ainda a corrupção de policiais que, em vez de proteger os cidadãos, ajudam o tráfico em troca de dinheiro. Muitas pessoas inocentes morrem todos os dias por causa da incompetência de nossas polícias, ou pela falta de vontade dela de melhorar a segurança da população.


Tropa de Elite é um filme que vai ficar na história. Não apenas por ter vazado na internet antes de seu lançamento, mas por alertar de forma clara que o Rio de Janeiro precisa de ajuda. E que há muito mais a ser mudado do que se imagina. A cidade precisa acordar para a realidade que a cerca.
Para mais informações sobre o filme, clique AQUI

terça-feira, 11 de setembro de 2007

Tropicália

No meio de toda a repressão e censura, tão conhecidas na época da ditadura, surge um movimento artístico que se tornou um marco da década de 60. Tropicália - uma revolução na cultura brasileira é a o nome da exposição que vai contar um pouco sobre grandes nomes, não só da música, mas do cinema, artes plásticas, teatro, arquitetura e da literatura, que fizeram história e deixaram sua marca.

A exposição, que está à disposição do público no MAM, Museu de Arte Moderna, no Rio de Janeiro, já passou por Nova York, e foi um grande sucesso de público. Inspirada do projeto de Lina Bo Bardin para o Teatro Oficina, em São Paulo, a exposição foi toda montada em cima de andaimes, dando vida ao conceito de precariedade, estratégia usada pelos tropicalistas. Essa estrutura participativa convida o visitante a reinventar a exposição, à medida que suas divisões, plataformas e rampas os conduzem por ela, estabelecendo, assim, contato com a mentalidade da Tropicália.

Tropicália dá destaque às principais obras da Nova Objetividade Brasileira, exposição apresentada no MAM, em 1967, e que contou com a participação de vários artistas, incluindo Lygia Clark, Antonio Dias, Hélio Oiticica e Lygia Pape, os quais buscaram definir uma identidade para a arte brasileira contemporânea.

A mostra já começa de uma forma diferente: contém uma piscina de bolas em sua entrada, o que atrai não só crianças, mas, também, adultos. E essa interatividade exposição-público pode ser percebida ao longo de toda a exposição, fazendo com que o público, literalmente, entre na alma desses artistas. Um exemplo dessa interatividade é a parte da mostra que contém as obras de Lygia Clark. Para ela, a obra de arte deve exigir uma participação imediata do espectador e ele, espectador, deve ser jogado dentro dela.

Assim, Tropicália traz uma linha do tempo documentando os anos-chave do período tropicalista, com trechos de shows de Gal Costa, Gilberto Gil, Tom Zé, Os Mutantes e Caetano Veloso, bem como programas de televisão, exemplares de revistas, trailers e cartazes de cinema.

Esta exposição, com o patrocínio da Petrobras, é a primeira exposição que se dedica à Tropicália como momento cultural – que durou de 1967 a 1972 -, e que busca, também, mostrar suas influências nas novas gerações
de artistas nacionais e estrangeiros.


Tropicália - uma revolução na cultura brasileira
Até 30/9
MAM - Av. Infante Dom Henrique 85, Parque do Flamengo.
R$ 4 (R$ 2 a meia entrada)

terça-feira, 28 de agosto de 2007

Agenda Cultural...

Para quem quiser conferir alguns dos eventos e artistas já mencionados aqui no blog, segue uma pequena agenda cultural:

Quarta - 29/8:
Chicas e Lenine
Às 20h
Teatro dos Quatro - Shopping da Gávea
R$ 60 (estudante paga meia entrada)

Sol na Garganta do Futuro
Às 19h
Cine Odeon

Quinta - 30/8:
Roteiro Noturno do Centro do Rio a pé
A partir das 21h
Inscrições: roteirosgeorio@uol.com.br

Sexta - 31/8:
Programa Som Brasil em homenagem a Raul Seixas
Participação de Anna Luisa
Logo após o Programa do Jô - Rede Globo

Domingo - 02/9:
Anna Luisa - encerramento da turnê "Do Zero"
Às 20h
Sala Baden Powell - Copacabana
R$ 20 (R$10 a meia entrada)



segunda-feira, 13 de agosto de 2007

Sururu na Roda

Muitas Universidades são conhecidas por revelarem grandes talentos de diversas áres. E na música não seria diferente.

Formado em 2000 na Uni-Rio, o grupo Sururu na Roda vem encantando o público carioca com samba da melhor qualidade. O grupo, composto por Nilze Carvalho (voz e cavaquinho), Camila Costa (voz e violão), Fabiano Salek (voz e percussão) Sílvio Carvalho (voz e percussão) e Naife Simões (percussão), apresenta em seus shows grandes sucessos da música brasileira, como A Rita, de Chico Buarque (que fez participação no segundo cd do grupo) e A voz do morro, de Zé Ketti, além de composições próprias.

O Sururu na Roda lançou seu primeiro cd, Arco da Velha, em 2002, e, em 2004, o cd Sururu na Roda.

O grupo se apresenta todos os sábados no Centro Cultural Carioca. Uma ótima pedida para quem deseja ter um fim de semana recheado de qualidade musical, que poucos grupos de samba possuem.


Para conhecer mais o trabalho do Sururu na Roda:
Sururu na Roda no Centro Cultural Carioca:
Todos os sábados
À partir das 22h30
R$ 17
Rua do Teatro, 37 - Centro

quinta-feira, 2 de agosto de 2007

Perfil: Anna Luisa

Dona de uma voz marcante e uma simpatia incrível, Anna Luisa é uma artista como poucos. Nos seus 28 anos de idade, cinco como cantora, ela é um grande talento atrás de seu objetivo de viver de música num país onde falta incentivo à cultura.

Formada em Psicologia, chegando a exercer a profissão paralelamente à carreira de cantora, Anna amarrou a venda nos olhos, lançou os remos no mar, confiando no rumo que a vida tomaria. Optou por largar a Psicologia e seguir como cantora. E, assim, a música brasileira ganhou mais um grande talento.

No ano de sua formatura, Anna foi chamada pela gravadora Deckdisc para fazer um teste para a gravação de um cd com canções temas de novelas numa releitura acústica. O cd “Novelas Acústico” foi lançado em 2002, e Anna gravou grandes sucessos como “À Francesa”, da novela Top Model e “Brasil”, de Vale Tudo.

Em 2006, ela lançou o cd “Do Zero”, seu primeiro cd de inéditas, entre canções de sua autoria e parcerias, e de outros compositores da nova safra. O cd é uma produção independente, mas será relançado pela gravadora Som Livre. Uma mistura de xote, baião, maracatu, ciranda, entre outros ritmos, ele é a cara do Brasil, um representante de toda a diversidade existente no país.

E a música “Do Zero”, parceria de Pedro Luis e Seu Jorge, caiu como uma luva para dar nome ao primeiro trabalho próprio da carreira de Anna. Esse título representa muito bem o começo da carreira dela que, mesmo convivendo com música desde pequena, não imaginava que poderia chegar tão longe. O cd contém músicas dela, como “Todo Fim” e “Pedacinho da Vida”, além de canções de artistas como Rodrigo Maranhão e Pedro Luis.

A cada show, um grande espetáculo. Com grande adesão do público, Anna Luisa tem tido uma boa resposta ao seu trabalho. E não podia ser diferente.

Em um país onde falta incentivo à cultura, patrocínio a novos artistas e estímulo ao surgimento destes, não é fácil viver da música. E, assim, grandes talentos deixam de ser descobertos. Que a linda voz dessa cantora ainda possa ecoar nos quatro cantos deste país que, assim como seu cd, é marcado pela diversidade. Diversidade essa que só tem a enriquecer a cultura brasileira.


Para conhecer mais o trabalho da Anna Luisa:
Site oficial
Comunidade no Orkut
Myspace


Agenda de shows:
Crowne Plaza - SP
Dia 02/08
Às 21h


(clique para ampliar)

quarta-feira, 1 de agosto de 2007

O barulho dos anjos...


Quatro vozes diferentes. Separadas, são puro talento. Juntas, são a perfeição da música brasileira. Amora Pêra, Fernanda Gonzaga, Isadora Medella e Paula Leal são mais do que um simples grupo de MPB. São como anjos que, com suas maravilhosas vozes, anunciam a grande qualidade que a música brasileria possui.


Com mais de 10 anos de carreira, mas alguns anos separadas, as Chicas lançaram, em 2006, seu primeiro cd, "Quem vai comprar nosso barulho?", que reúne músicas inétidas e regravações de artistas como Lenine e Gonzaguinha. O "barulho" dessas cariocas tem de tudo um pouco: samba, baião, e até funk, na linda releitura de "Rap do Silva".

Mesmo com a gravidez de Fernanda, as Chicas não param. Enquanto ela estiver de licença maternidade, o grupo continuará fazendo shows, como aconteceu no Teatro Café Pequeno, RJ, o "Ensaio Chicas - Trabalho de Parto", que de ensaio não tem nada. Um show de pura qualidade musical e brilhante bom gosto na escolha do repertório. Nenhuma música está incluída no cd nem nos shows com o grupo completo.

Cada uma no seu estilo, no seu timbre de voz, do seu jeito. Mas juntas formam um outro estilo, uma outra voz, um outro jeito. A união realmente faz a força. A força da música brasileira da melhor qualidade. Esse barulho vicia mesmo!

Agenda de shows:
Loucos por Música - Salvador
Participação: Toni Garrido, Luciana Mello, Margareth Menezes e Chicas
Dia 02/8
Às 18h30
Concha Acústica

Loucos por Música - Rio de Janeiro
Participação: Beth Carvalho, Chico César, João Bosco e Chicas
Dia 15/8
Às 20h
Vivo Rio

Chicas e Lenine - Rio de Janeiro
Dia 29/8
Às 20h
Teatro Rival


Para conhecer mais o trabalho das Chicas:


Vídeos do show no Teatro Café Pequeno:

quinta-feira, 26 de julho de 2007

Desvendando o Rio...


Muitos cariocas não conhecem realmente a cidade onde moram. Muitos turistas vêm para o Rio com o objetivo de descobrir a cidade, além do que os pontos turísticos mais famosos podem oferecer.

E, na noite desta quinta-feira, a Lapa poderá ser desvendada para quem tiver interesse. A Lapa do samba de raiz, dos sobrados, da malandragem. Cada canto do bairro mais boêmio do Rio será conhecido pelo grupo que acompanhar o passeio "Roteiro noturno no Centro do Rio a pé".


Comandada pelo professor João Baptista Ferreira da Mello, da UERJ, esse passeio já acontece há nove meses. O encontro está marcado para as 21h, na portaria da Sala Cecília Meireles. De lá, o grupo - de no máximo 50 pessoas - segue adiante, passando prelos antiquários e casas de shows da Rua do Lavradio e pelas imediações de ruas como Visconde do Rio Branco, Gomes Freire e Constituição, entre outras.

O passeio termina por volta da meia-noite.


Está aí a oportunidade de conhecer a cidade que existe por trás das praias, do Cristo Redentor e o Pão de Açúcar. Cidade essa desconhecida, até mesmo, para muitos cariocas.

O Rio tem muito mais a oferecer do que o que já é conhecido.


Roteiro noturno no Centro do Rio a pé
Dia 26/07
Às 21h
Inscrições grátis:
roteirosgeorio@uol.com.br

Mais informações: 8871-7238

domingo, 22 de julho de 2007

Dica: Sol na Garganta do Futuro

A banda, formada pelo carioca Daniel Bosi (sopros/violão/voz) e pelos capixabas Fabricio Noronha (voz/poesia), Hugo Reis (guitarra), Vinicius Fabio (contrabaixo/voz/ruídos) e Erico (bateria/percussão) apresenta, desde 2001, poesia através da música.

O Sol na Garganta do Futuro é uma banda diferente das que estamos acostumados a ver, e é isso que faz dela uma banda especial.
Com poesias de grande qualidade e um fundo musical envolvente, cada show da banda é um grande espetáculo!

Para quem gosta de conhecer coisas novas, com certeza vai se interessar pelo trabalho da banda.
E pra quem gosta de música e poesia, então, nada melhor que uma banda que conseguiu unir essas duas artes de uma forma brilhante.

Que a cultura brasileira possa incentivar e descobrir, cada vez mais, talentos como esse!

Sol na Garganta do Futuro
Para baixar o cd demo da banda, clique AQUI

Vídeos do Sol no Youtube:
http://www.youtube.com/watch?v=i2IPDtk0uzc
http://www.youtube.com/watch?v=n_aP7T69r4k
http://www.youtube.com/watch?v=CQsQ_LHZK5I

Contato: solnagarganta@yahoo.com.br

quarta-feira, 18 de julho de 2007

"Sonho de uma noite de verão", peça de Shakspeare, com certeza já teve muitas adaptações para o teatro brasileiro. Cada uma de um jeito, muitas fizeram sucesso, muitas vezes até com atores consagrados. Mas, um grupo de jovens atores vem roubando a cena.

O Centro Cultural Felipe Martins está em cartaz com uma adaptação da peça de Shakspeare, no Rio de Janeiro. Com jovens atores de muito talento, figurino impecável, maquiagem de grande qualidade e uma brilhante trilha sonora, não tinha como não ser um grande espetáculo.

A peça faz uma mistura entre o real e o imaginário, contando a história dos apaixonados Hérmia e Lisandro, que fogem para a floresta, onde vivem os seres encantados, para fugir de Demétrio, a quem Hérmia é prometida.

"Sonho de uma noite de verão" é uma história muito conhecida pelas pessoas, mas, o talento desses jovens atores faz com que essa adaptação tenha uma cara diferente. O teatro brasileiro só tem a ganhar com peças como essa. E que ele proporcione cada vez mais oportunidades para o grande talento desses atores.


Sonho de uma noite de verão
Direção: Felipe Martins e Thiago Valente

Dias: 22/7 às 12h30; 23/7 às 21h
Teatro do Planetário: Av. Padre Leonel Franca, 240 - Gávea

Dias: 28 e 29/7 às 21h
SENAC Copacabana: Rua Pompeu Loureiro, 45 - Copacabana

Ingressos: R$20

terça-feira, 17 de julho de 2007

MPB para dançar!



E quem disse que MPB não é música pra dançar?

Marcelinho da Lua é a prova que essa mistura dá certo. O produtor e DJ mescla a voz de grandes nomes da música brasileira com batidas eletrônicas. O resultado só podia ser sucesso!

A nova roupagem que da Lua deu para as músicas foram muito bem aceitas pelo público, e só tem a enriquecer ainda mais a música brasileira, fazendo com que grandes nomes, como Martinho da Vila e Chico Buarque sejam bem acitos pela geração mais jovem.

Marcelinho da Lua tambem faz parte do grupo BossaCucaNova, trio formado por Da Lua e pelos produtores musicais, técnicos de gravação e instrumentalistas, Márcio Menescal e Alexandre Moreira. O grupo adicionou sonoridades atuais a grandes clássicos da Bossa Nova, com esse objetivo de atingir os jovens.

E, para falar de sua carreira e do seu novo cd, Social, que tem a participação das Chicas Amora Pêra e Fernanda Gonzaga, Marcelinho da Lua estará, nesta terça feira, no Palco MPB, programa apresentado por Fernando Mansur, na rádio MPB FM.



Palco MPB com Marcelinho da Lua
Dia 17/07
Às 16h
MPB FM: 90,3 MHz

domingo, 15 de julho de 2007


Um grupo de amigos se reúne no Posto 9 de Ipanema, para fazer um batuque, sem ensaio mesmo, e sem carro de som nem nada. No país do carnaval, isso só podia dar samba!

E foi assim que, em 2003, surgiu o Bloco Empolga às 9, grande sucesso no carnaval carioca. Mas quem disse que carnaval tem data certa? Para quem quer festejar, carnaval é o ano inteiro!

E é com esse espírito que o Empolga faz a alegria do povo em cada apresentação. Esse grupo de 11 pessoas, que se encontraram nas aulas de percussão do Monobloco e, distribuídos em voz, harmonia e percussão, como o próprio nome diz, empolga o Rio de Janeiro por onde passa.

No repertório, estão grandes nomes da música brasileira, como Gilberto Gil, Lenine e Rita Lee. Mas, claro, não podiam faltar os sambas-enredo, já que foi por esse motivo que o grupo se reuniu.

E, já que pra folia não precisa de data, o Empolga estará domingo e segunda, no Rio Scenarium, famosa casa da Lapa, eleita pela Veja como a melhor casa de música ao vivo do Rio.

Nada mais perfeito que o bloco mais empolgante do Rio, na melhor casa da cidade!


Empolga às 9
Dias 15 e 16/07
À partir das 22h
Rio Scenarium: Rua do Lavradio, 20 - Lapa

sexta-feira, 13 de julho de 2007

O futuro já começou!

Nos tempos da era digital, até exposição é multimídia.
Está aberta para visitação a exposição Recortes da Inquieta Retina, que reúne fotos com um tema comum: a cor. Vibrante ou pastel, a cor é usada como uma maneira de se mostrar que o mundo é colorido e é assim q deve ser enxergado.

A mostra reúne foto de Jayme Plotkowski (arquiteto), Luis Carlos Lopes (publicitário), Nilton de Moraes Filho (arquiteto e designer) e Sérgio Póvoa (engenheiro).

Essas fotos são projetadas numa parede do Oi Futuro, parede essa localizada num cyber-restaurante. Nessa vida tão agitada que levamos ultimamente, nada mais prático que uma exposição dessa maneira.Pode-se sentar, pedir um cafezinho e ainda apreciar uma interessante coletânea de fotos. É a tecnologia chegando à cultura!

Agora, não há mais desculpas para não ir a uma exposição por causa da famosa falta de tempo, pois até pela internet é possivel conferir essas fotos.

O futuro já começou! E esse ambiente futurista já pode ser percebido na arquitetura do local. Digno do Museu da Ciência de Londres!

Está aí a prova de que a tecnologia só vem ajudar, e que a cultura não morrerá jamais!



Recortes da Inquieta Retina
Até 31/7
De terça a domingo, das 11h às 20h - Nível 8
Oi Futuro - Rua Dois de Dezembro, nº 63 - Flamengo


Para conferir a exposição online, clique AQUI

quinta-feira, 12 de julho de 2007

E ela voltou!

Dona de uma voz inconfundível, que toca no fundo do coração de quem a ouve, Marisa Monte é uma artista como poucos.

Cada cd que lança, emplaca grandes sucessos.
E, cada ano que passa, vai deixando a sua linda marca na história da música brasileira. E esse novo trabalho, não poderia ser diferente.


Lançados em 2006, os cds Infinito Particular e Universo ao meu redor vêm recheados de boa música, com um clima totalmente brasileiro, com muito samba. Não tinha como não ser sucesso!As músicas estão em todas as rádios, e na trilha sonora de novelas, como é o caso de Infinito Particular, que estava na trilha da recém terminada novela, "Pé na Jaca", da Rede Globo.

A turnê Universo Particular já rodou o Brasil e várias cidades do mundo, como Londres, e foi um grande sucesso de público por onde passou.

O show é aquele para sentar e saborear cada momento. Com uma banda de grande qualidade e aquela voz envolvente da Marisa, não tem como não sair do show completamente extasiado pelo talento dessa cantora com uma grande experiência, mas com uma energia de iniciante.

E o sucesso foi tanto, que Marisa Monte está de volta ao Rio de Janeiro com sua turnê, dessa vez na casa de espatáculos Vivo Rio, no Aterro do Flamengo. E como diz a música que encerra seu show, não vá embora, não nos deixe nunca mais. E ela voltou!

E o Rio tem o prazer de curtir mais um pouquinho do talento dessa linda cantora!


Turnê Universo Particular
Local: Vivo Rio
Dias: 13, 14, 20 e 21/07
Às 22h
Mais informações, clique AQUI













(clique para ampliar)

Foto tirada no show da turnê no Citbank Hall (antigo Claro Hall), em Agosto/2006

quarta-feira, 11 de julho de 2007

O que é "Cultura"?

Há diversas formas de um povo demonstrar sua cultura. Seja na música, no cinema, no teatro, na literatura ou na gastronomia. Mas, afinal, o que é cultura?
Para uns, ser culto é ter conhecimento do que é erudito, é ser intelectual, frequentar as melhores rodas sociais. Para outros, é ter conhecimento do que é popular, do que é simples, mas considerado genuíno, marca de um lugar.
Não diria que nenhuma das duas visões está errada.
Muito pelo contrário, elas se completam.
Cultura é tudo aquilo relacionado à história de um povo. Do mais erudito ao mais popular, a cultura não tem preconceitos, ela recebe de braços abertos quem estiver com vontade de viver a história do povo ao qual ela retrata
Em se tratando de Brasil e, principalmente, Rio de Janeiro, temos muito o que falar em termos culturais. Uma roda de samba, aquela feijoada caprichada, as noites boêmias da Lapa, um concerto no Teatro Municipal, uma cervejinha no Garota de Ipanema.... O que não falta é opção para conhecer a alma do carioca. Com um povo tão diversificado, com gostos tão diferentes, há cultura carioca para todo os gostos!

Então, o objetivo desse blog é divulgar tudo o que há de bom na cultura carioca, sem preconceitos
e sem barreiras, prezando por atender a todo tipo de pessoas, mostrando tudo o que está rolando nessa cidade maravilhosa. E, por que não, apresentar algo de novo que esteja surgindo? Sugestões, são sempre bem vindas!

Vamos falar de tudo: música, cinema, literatura, gastronomia, teatro! Sem exceções!

E viva a cultura carioca!